Tendências Emergentes: o que esperar da Inteligência Artificial em 2023

Espaço destinado à atualização periódica de tecnologias nacionais e internacionais que podem impactar o segmento educacional e, portanto, subsidiar gestores das instituições de ensino para que sejam capazes de agir proativamente olhando para essas tendências.

28/03/2023 | 2676

Tendências Emergentes: o que esperar da Inteligência Artificial em 2023

Por: Carmen Tavares*

Inicio esse texto após ter palestrado, a convite da ABMES, sobre o ChatGPT e seus impactos no ensino superior. O interesse de professores e gestores é grande, uma vez que tivemos quase 800 participantes no seminário.  

A IA está sendo usada amplamente em todos os setores para complementar e melhorar processos e criar experiências novas e envolventes. Há muitos benefícios na aplicação da IA ??como ferramenta educacional, incluindo maior eficiência na automação de tarefas de rotina e acesso a informações valiosas de dados que professores e administradores podem usar para melhorar o currículo ou informar experiências de aprendizado mais personalizadas para os alunos.

Gostaria de descrever sobre algumas outras tecnologias de IA que foram amplamente utilizadas no ano de 2022 e que impactaram o ambiente acadêmico.

  1. GPT-3: É uma das ferramentas de IA mais avançadas atualmente disponíveis, capaz de gerar textos, traduzir idiomas, responder a perguntas e até mesmo escrever códigos. Foi desenvolvido pela OpenAI e já está disponível para uso comercial conseguindo um milhão de usuários em 5 dias. Foi sobre essa ferramenta que a ABMES organizou seu seminário.
  2. DALL-E: Também desenvolvido pela OpenAI, é uma ferramenta generativa que cria imagens a partir de descrições textuais. Por exemplo, pode gerar uma imagem de um elefante rosa tocando uma guitarra;
  3. CLIP: Também da OpenAI, é uma ferramenta de visão computacional que pode identificar objetos em imagens e classificá-los em categorias. É capaz de reconhecer objetos em imagens mesmo que não tenha sido treinado para eles;
  4. VQGAN + CLIP: Esta ferramenta combina o modelo VQGAN (que gera imagens a partir de texto) com o modelo CLIP (que identifica objetos em imagens). Isso permite que os usuários gerem imagens a partir de descrições textuais específicas e ainda controlem a aparência da imagem.
  5. BlenderBot 2.0: Desenvolvido pelo Facebook, o BlenderBot 2.0 é uma ferramenta de conversação que utiliza modelos de linguagem natural avançados para responder a perguntas e manter conversas naturais com os usuários, entre outras.

Essas são apenas algumas das ferramentas generativas de IA mais recentes e avançadas disponíveis atualmente. É importante lembrar que essas ferramentas devem ser usadas com responsabilidade e ética.

Abaixo, pontuamos algumas possíveis tendências para 2023 que tenham aplicações na área educacional, com base em previsões e desenvolvimentos recentes.

  1. Personalização do ensino: a Inteligência Artificial pode ajudar a personalizar o ensino, permitindo que os alunos aprendam em seu próprio ritmo e estilo de aprendizagem. As plataformas de aprendizagem com IA podem analisar o desempenho do aluno e fornecer feedback personalizado para ajudá-lo a melhorar.
  2. Aprendizagem adaptativa: a IA pode ser usada para criar sistemas de aprendizagem adaptativos que se ajustam automaticamente às necessidades individuais dos alunos. Esses sistemas podem analisar o desempenho dos alunos e fornecer conteúdo personalizado para ajudá-los a melhorar em áreas específicas.
  1. Educação baseada em jogos: a IA pode ser usada para desenvolver jogos educacionais que engajam e motivam os alunos. Esses jogos podem ser projetados para se adaptar às habilidades e interesses dos alunos, tornando a aprendizagem mais eficaz e agradável.
  2. Tutoria virtual: a IA pode ser usada para fornecer tutoria virtual aos alunos, permitindo que eles recebam ajuda individualizada de um tutor virtual em tempo real. Isso pode ser especialmente útil para alunos que precisam de ajuda adicional ou para escolas com recursos limitados para fornecer tutoria presencial.
  3. Análise de dados: a IA pode ser usada para analisar grandes conjuntos de dados educacionais e identificar padrões e tendências. Isso pode ajudar os educadores a tomar decisões informadas sobre o planejamento curricular, avaliação e outras áreas importantes.
  4. Aprendizagem por reforço: a IA pode ser usada para criar sistemas de aprendizagem por reforço, em que os alunos são recompensados por alcançar certas metas ou atingir determinados marcos de aprendizagem. Esses sistemas podem incentivar os alunos a se concentrarem em seus objetivos de aprendizagem e a se envolverem ativamente no processo de aprendizagem.
  5. Realidade virtual e aumentada: a IA pode ser usada para criar experiências de aprendizagem imersivas usando tecnologias de realidade virtual e aumentada. Isso pode permitir que os alunos explorem ambientes educacionais virtuais e visualizem conceitos complexos de uma maneira mais interativa e envolvente.

Importante abordamos também sobre o desenvolvimento da Internet das Coisas (IoT) e sua tendência para 2023. A IoT tem se expandido rapidamente nos últimos anos e é esperado que continue a crescer nos próximos anos e ter cada vez mais aplicações no ambiente educacional. A Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês) pode ser aplicada em diversas áreas da educação, desde a educação infantil até a educação continuada. Algumas das aplicações da IoT na educação incluem:

  1. Ambientes de aprendizagem inteligentes: as salas de aula podem ser equipadas com sensores que monitoram o nível de iluminação, temperatura e umidade, e ajustam automaticamente essas variáveis para garantir um ambiente mais adequado para a aprendizagem;
  2. Dispositivos vestíveis: dispositivos como relógios inteligentes e pulseiras podem ser usados para monitorar o bem-estar dos alunos, como sua frequência cardíaca e nível de estresse. Essas informações podem ajudar a identificar alunos que estão passando por dificuldades e fornecer intervenções adequadas;
  3. Aprendizagem móvel: dispositivos móveis podem ser usados para disponibilizar conteúdo educacional em tempo real, tornando-o acessível a qualquer hora e em qualquer lugar. Isso pode incluir aulas interativas, atividades de aprendizagem baseadas em localização e jogos educativos.
  4. Gerenciamento de recursos escolares: sensores IoT podem ser usados para monitorar o uso de recursos, como energia e água, e identificar áreas onde é possível economizar. Isso pode ajudar a reduzir os custos operacionais e tornar as escolas mais sustentáveis.
  5. Análise de dados: a IoT pode ser usada para coletar e analisar dados sobre o desempenho dos alunos, permitindo que os educadores identifiquem áreas onde os alunos estão tendo dificuldades e adaptem seus métodos de ensino em conformidade.

Essas são apenas algumas das muitas aplicações da IoT na educação. À medida que a tecnologia continua a evoluir, é provável que novas e excitantes aplicações sejam desenvolvidas para melhorar a experiência de aprendizagem dos alunos.

Em resumo, é provável que a IoT continue a se desenvolver em 2023, e que novas aplicações e soluções baseadas em IoT surjam para atender às necessidades dos usuários e das instituições de ensino.

 

*Carmen Tavares é Gestora Educacional e de Inovação com 28 anos de experiência no mercado educacional privado brasileiro em instituições de diversos portes e regiões

Curtir:

Compartilhar:

Carmen Tavares

Gestora educacional e de inovação com 28 anos de experiência em instituições de diversos portes e regiões, com considerável bagagem na construção de políticas para cooperação intersetorial, planejamento e gestão no ensino privado tanto na modalidade presencial quanto EAD. Atuou também como executiva em Educação Corporativa e gestora em instituições do Terceiro Setor. É mestre em Gestão da Inovação pela FEI/SP, com área de pesquisa em Capacidades Organizacionais, Sustentabilidade e Marketing. Pós-graduada em Administração de Recursos Humanos e graduada em Pedagogia pela UEMG.

contato@proinnovare.com.br - www.proinnovare.com.br