Detalhe

Faculdades questionam viabilidade do Fies

21/07/2016 | Por: Valor Econômico | 990

A Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), entidade que representa 1,2 mil faculdades privadas, questiona a viabilidade do Fies, financiamento estudantil do governo, com os atuais abatimentos exigidos. Hoje, as instituições de ensino arcam com 28% do valor da mensalidade do curso. "No atual modelo, o Fies gera receita mas não é rentável. A margem das escolas é de 10% e o percentual de descontos é muito maior", diz Janguiê Diniz, presidente da ABMES. 

Na semana passada, o MEC anunciou que as instituições terão que arcar com outros 2% da mensalidade. Esse percentual refere­se à taxa de administração cobrada pelo Banco do Brasil e CEF para o financiamento estudantil. "Somos contra esse acréscimo de 2%. É uma contribuição momentânea do setor", ressalta Janguiê. Além disso, as escolas precisam dar um desconto de 5% nas mensalidades pagas com o Fies e reverter 6,25% ao FGFUC (fundo garantidor em casos de inadimplência). O FGDUC arca com 90% da inadimplência e os outros 10% são pagos pelas escolas e governo. Dessa fatia residual de 10% não coberta pelo FGDUC, 15% são pagos pelas escolas e o restante pelo governo. "Estamos gerando um passivo futuro que não sabemos o tamanho", diz.

 

Este trecho é parte de conteúdo exclusivo do Valor Econômico. A notícia pode ser conferida na íntegra no site do veículo.


Conteúdo Relacionado

Áudios

Áudio: Mais da metade dos jovens depende de programas do governo para cursar universidade

Data:20/07/2016

Descrição:

Diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, concede entrevista à CBN sobre pesquisa que revela que 17% da população que deveria estar na universidade na faixa etária de 18 a 24 anos consegue entrar em um curso superior

Download

Áudio: Entrevista do presidente da ABMES, Janguiê Diniz

Data:22/07/2016

Descrição:

Em entrevista Janguiê Diniz, Presidente da ABMES, diz sobre a pesquisa em que metade dos jovens com ensino médio querem fazer faculdade, mas não tem como pagar as mensalidades.

Download

Notícias

Metade dos jovens depende de programas do governo para cursar universidade

Para diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, programa de financiamento estudantil beneficia mais o país, em última instância, do que instituições privadas de ensino

Mais da metade dos jovens depende de programas do governo para cursar universidade

Pesquisa é da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior, que representa 1.200 unidades da rede particular. Só 17% da população que deveria estar na universidade na faixa etária de 18 a 24 anos consegue entrar em um curso superior

63,2% dos jovens aprovam nota mínima como exigência para o Fies

Os jovens que estão fora das universidades e ainda têm interesse em ingressar no ensino superior aprovam a maior rigidez de regras para o acesso ao Fies, como a exigência de nota mínima de 450 pontos no Enem. Segundo pesquisa encomendada pela Abmes, 63,2% acha que a nota mínima deve permanecer e 17,8% disse que ela deve aumentar

Setor de educação reforça pleitos por mais financiamento do governo

O setor de ensino superior privado está reforçando ações para garantir mais recursos ao financiamento de estudantes junto ao governo federal, de olho na formatação de novas regras para o programa Fies a partir do próximo ano que estão sendo preparadas em um ambiente de restrição orçamentária

Mais de 50% dos jovens que querem cursar faculdade dependem do governo

Mais da metade dos jovens brasileiros que querem cursar o nível superior no país não tem dinheiro para pagar por sua formação e, portanto, contam com programas sociais de incentivo a educação superior do governo, como o Fies e o ProUni