Espaço destinado à atualização periódica de tecnologias nacionais e internacionais que podem impactar o segmento educacional e, portanto, subsidiar gestores das instituições de ensino para que sejam capazes de agir proativamente olhando para essas tendências.

23/02/2021 | 2483

Uma alternativa à educação formal - o exemplo que vem de fora!

As instituições de ensino do século XXI devem adquirir novas competências e realizar projetos pedagógicos eficazes para formação de profissionais que sejam capazes de responder aos desafios e às demandas globais do mercado e da sociedade.  As novas configurações e natureza do conhecimento encontram no segmento do varejo, sobretudo em empresas de tecnologia, um modelo eficaz para resolver as lacunas do ensino formal e uma das abordagens deste primeiro artigo do ano é demonstrar um dos cases em que isso vem acontecendo.

Em janeiro de 2021, a Amazon ampliou suas atividades focando no mercado educacional com a oferta de uma nova plataforma de aprendizagem projetada para ajudar os alunos na Índia a entrarem em faculdades de engenharia de ponta.

A iniciativa denominada Amazon Academy, oferecerá seus serviços por meio de um novo aplicativo para Android e por um site, tornando-se o mais recente concorrente no segmento de formação preparatória da Índia. Projetado para auxiliar os alunos a se prepararem para o Exame de Admissão Conjunto - JEE (Joint Entrance Examination), uma avaliação realizada para admissão em algumas faculdades de engenharia na Índia, semelhante ao nosso vestibular.

A Amazon Academy incluirá material didático com curadoria, palestras ao vivo - permitindo o aprendizado ativo - 15.000 perguntas com dicas e soluções passo a passo detalhadas para a prática e avaliações em matemática, física e química. A plataforma também contará com simulados ao vivo projetados para imitar a experiência do exame pelo qual os alunos terão que passar. A plataforma também ajudará os aspirantes ao JEE a avaliarem seus desempenhos no teste por meio de relatórios personalizados que compara o desempenho do calouro frente ao desempenho dos demais participantes.

“A Amazon Academy tem como objetivo levar educação de alta qualidade e acessível a todos, começando com aqueles que se preparam para os exames de admissão em engenharia”, disse Amol Gurwara, diretor de educação da Amazon na Índia, em um comunicado.

“Nossa missão é ajudar os alunos a alcançarem seus resultados, ao mesmo tempo que capacitamos educadores e parceiros de criação de conteúdo a atingir milhões de alunos. Nosso foco principal tem sido a qualidade do conteúdo, análise de aprendizagem profunda e a experiência do aluno. Este lançamento ajudará os aspirantes a engenheiros a se prepararem melhor e alcançarem a vantagem de vencer no JEE.” 

A Amazon Academy está atualmente disponível na web e na Google Play Store gratuitamente “nos próximos meses”, sugerindo que eventualmente começará a cobrar dos alunos. Talvez seja essa uma prática de inclusão nesse momento de pandemia provocada pela COVID-19 e que depois possa se transformar em um produto viável para a venda. Mas, a direção deixa clara que a comercialização se dará a preço muito acessível e que começam com a oferta para os cursos de engenharia, mas a intenção é estender a todas as outras áreas.

A Amazon já possui uma série de outras plataformas e iniciativas de educação, incluindo AWS Educate, que é projetada para ajudar as pessoas a se familiarizar com a plataforma de nuvem da organização, Amazon Web Services. Há também o Amazon Ignite, que conecta criadores de conteúdo educacional aos clientes da empresa norte-americana e os ajuda a vender seus serviços, como planos de aula e jogos em sala de aula, como downloads digitais.

Companheiros gigantes da tecnologia nos Estados Unidos, Google e Apple, têm suas próprias ofertas de educação. O Google for Education, por exemplo, fornece versões personalizadas ??de vários produtos do Google, enquanto a Apple oferece descontos para alunos e professores em seu hardware.

Com mais de 1,3 bilhão de habitantes, a Índia é um mercado enorme. A Amazon tem ampliado suas operações nos últimos anos no país, que ainda tem um mercado de comércio eletrônico relativamente incipiente em comparação com sua vizinha China e os países do Ocidente.

Importante ressaltar que a AWS Academy também “fornece às instituições de ensino superior um currículo de computação na nuvem gratuito e pronto para ensinar, que prepara os alunos para buscar certificações reconhecidas no setor e tarefas na nuvem em demanda”

Ao terminar esse texto, aventuro-me a propor-lhes a reflexão de que ao olhar para frente nenhum de nós pode prever, se num futuro muito próximo, o varejo brasileiro também não apostará em iniciativas semelhantes, sobretudo para trazer qualidade ao Ensino Básico que possui características singulares e desafios urgentes diante do abandono do Estado.

Curtir:

Compartilhar:

Carmen Tavares

Gestora educacional e de inovação com 28 anos de experiência em instituições de diversos portes e regiões, com considerável bagagem na construção de políticas para cooperação intersetorial, planejamento e gestão no ensino privado tanto na modalidade presencial quanto EAD. Atuou também como executiva em Educação Corporativa e gestora em instituições do Terceiro Setor. É mestre em Gestão da Inovação pela FEI/SP, com área de pesquisa em Capacidades Organizacionais, Sustentabilidade e Marketing. Pós-graduada em Administração de Recursos Humanos e graduada em Pedagogia pela UEMG.

contato@proinnovare.com.br - www.proinnovare.com.br