Detalhe

RJ: Educação superior cresce impulsionada pela EAD

21/05/2019 | Por: ABMES | 616

Com um crescimento médio anual de 3,1% nas matrículas da educação superior, o Rio de Janeiro possui o segundo melhor desempenho da região Sudeste, ficando atrás apenas de Minas Gerais. Essa é uma das constatações da análise de cenário Educação Superior no Rio de Janeiro – Contextos e perspectivas, realizada pela ABMES em parceria com a empresa de estudos educacionais Educa Insights. O estado, que em 2010 contava com pouco mais de 575 mil alunos na graduação, encerrou 2017 com quase 713 mil em suas 136 instituições de educação superior.

Boa parte desse crescimento foi impulsionada pela educação a distância (EAD). No contexto das IES particulares, ela apresentou uma evolução média de 17,8% ao ano entre 2010 e 2017, ante o desempenho de 0,6% de crescimento médio anual dos cursos presenciais no mesmo período.

Outra característica da educação superior no estado é que os cinco cursos com o maior volume de estudantes coincidem com o cenário nacional, com poucas mudanças de posição entre eles: direito, administração, enfermagem, psicologia e engenharia civil. Entretanto, o curso que apresentou o maior crescimento nos últimos anos foi o de engenharia mecatrônica, com média anual de 50,1%.

Já entre os cursos ofertados na modalidade a distância os que mais atraem o interesse do estudante fluminense são administração (29%), pedagogia (11,1%) e gestão de recursos humanos (7,2%).

Perfil do estudante
Com 56% de representatividade, as mulheres compõem a maior parcela das pessoas que cursam uma graduação no estado do Rio de Janeiro. Além disso, o público que frequenta as instituições de educação superior é jovem (48% tem até 24 anos), branco (33%), cursou o ensino médio em escolas públicas (54%), trabalha (63%) e pertence às classes CDE (58%).

Embora em grande parte as análises do perfil dos públicos dos cursos presenciais e da EAD e também das instituições particulares e públicas apresentem dados semelhantes, há algumas distinções marcantes. Por exemplo, enquanto nas unidades públicas o percentual de estudantes com até 24 anos é de 57% e dos que trabalham 55%, nas particulares esses índices são de 45% e 67%, respectivamente.

Entre os alunos dos cursos presenciais e a distância as principais distinções estão marcadas pela idade (55% com até 24 anos nos presenciais e 20% na EAD) e pela situação de trabalho (60% dos que frequentam cursos presenciais trabalham ao passo em que o índice na modalidade a distância é de 84%).


Conteúdo Relacionado

Documentos

Vídeos

ABMES Regional RJ bate recorde de público

Confira como foi o evento ABMES Regional realizado no RJ no dia 21 de maio de 2019. Em parceria com o Semerj, o encontro reuniu 140 instituições do Rio de Janeiro e região parar falar sobre temas de extrema relevância. Além de representantes do setor particular, o MEC e a Finep marcaram presença

 

EAD para pós-graduação e ampliação da modalidade em cursos presenciais

No fim de 2018 algumas notícias importantes movimentaram a educação superior brasileira: a regulamentação de programas de pós-graduação stricto sensu na modalidade EAD e a ampliação de aulas nessa modalidade que podem ser ofertadas nos cursos de graduação presenciais, o limite passou de 20% para 40%. Confira neste vídeo alguns pontos importantes dessas medidas e tire suas dúvidas

Legislação

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 1, DE 14 DE JANEIRO DE 2013

Dispõe sobre os procedimentos do fluxo dos processos de regulação de reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos na modalidade EAD.


PORTARIA MEC Nº 1.428, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018

Dispõe sobre a oferta, por Instituições de Educação Superior - IES, de disciplinas na modalidade a distância em cursos de graduação presencial.


Notícias

Cursos de Educação a Distância da UFPE são bem avaliados pelo MEC

Diário de Pernambuco: Pesquisa divulgada pela ABMES mostra que 44% dos entrevistados optariam pela modalidade EAD

MEC anuncia pesquisa com IES para aprimorar nota técnica sobre diplomas digitais

Comunicado foi feito durante evento ABMES Regiona RJ realizado em 21 de maio. Participantes também tiveram a oportunidade de entender mais sobre a normativa e a aplicação na prática das novas regras

Coluna

Educação Superior Comentada| O descabimento da decisão do CAU/BR que veda a inscrição e registro de egressos de cursos de Arquitetura e Urbanismo ofertados em EAD

Para falar sobre a perseguição dos conselhos profissionais ao ensino a distância, Gustavo Fagundes comenta na edição desta semana sobre a decisão do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil, que decidiu que os conselhos estaduais não admitirão o registro de egressos de cursos de graduação EAD. O especialista ressalta que é preciso que os conselhos entendam que não cabe a eles distinguir entre as modalidades de oferta da educação superior