Detalhe

Mais de 50% dos jovens que querem cursar faculdade dependem do governo

20/07/2016 | Por: O Globo | 1122

SÃO PAULO. Mais da metade dos jovens brasileiros que querem cursar o nível superior no país não tem dinheiro para pagar por sua formação e, portanto, contam com programas sociais de incentivo a educação superior do governo, como o Fundo de Financiamento Estundatil (Fies) e o Programa Universidade para Todos (ProUni). A maioria, 64,8%, concluiu o ensino médio em escola pública estadual.

Os dados constam de uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de Mantenedora de Ensino Superior (ABMES), divulgada nesta quarta- feira, em São Paulo. Foram ouvidos 1.000 jovens de 18 a 30 anos, com ensino médio completo, de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Florianópolis, Salvador, Fortaleza, Manaus, Recife e Belém.

De acordo com o levantamento, 81% dos jovens entrevistados pretendem cursar o nível superior dentro dos próximos três anos. Mesmo tendo interesse em estudar em faculdade pública, 78,6% destes jovens não rejeitariam realizar um curso em universidade privada.

Embora sonhem com o diploma, mais da metade deles, 50,5%, afirmou que a família não tem condições de pagar uma faculdade particular.

Dentro deste grupo que pretende cursar uma graduação, 57,9% dos jovens esperam contar com o Programa Universidade para Todos (Prouni) e 50,3%, com o Financiamento Estudantil (Fies).

Sobre as carreiras pretendidas, a maioria sonha em ser médico (12,7%), advogado (11,1%) ou engenheiro (10,9%).

— Hoje, dos 7,8 milhões de alunos em ensino superior , 75% estão nas instituições privadas — afirma Janguiê Diniz, diretor-presidente da ABMES.

Na opinião do especialista Luciano Mendes Faria Filho, coordenador do projeto "Pensar a Educação, Pensar o Brasil", no entanto, o estado deve adotar políticas que fomentem o ensino público para que os jovens não dependam de uma vaga em instituição privada:

— Evidente que a alternativa não é aumentar o financiamento público de instituições privadas. Se a gente quer de fato resolver o problema do ensino superior, é preciso que fazer expansão das vagas públicas- comentou o educador, acrescentando que o Brasil tem uma das médias mais baixas do mundo no que diz respeito à quantidade de vagas públicas:

— O Brasil é um dos países do mundo que tem uma das piores participações de vagas públicas no ensino superior, em torno de 24%. Isso só é pior que 4 ou 5 países no mundos. É uma vergonha em relação a toda América Latina.


Conteúdo Relacionado

Áudios

Áudio: Mais da metade dos jovens depende de programas do governo para cursar universidade

Data:20/07/2016

Descrição:

Diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, concede entrevista à CBN sobre pesquisa que revela que 17% da população que deveria estar na universidade na faixa etária de 18 a 24 anos consegue entrar em um curso superior

Download

Áudio: Entrevista do presidente da ABMES, Janguiê Diniz

Data:22/07/2016

Descrição:

Em entrevista Janguiê Diniz, Presidente da ABMES, diz sobre a pesquisa em que metade dos jovens com ensino médio querem fazer faculdade, mas não tem como pagar as mensalidades.

Download

Notícias

Pesquisa mostra que quem tem nível superior consegue maior retorno por educação

Para o nível médio, vantagem diminui, já que empresas estão cada vez mais exigentes

Faculdades questionam viabilidade do Fies

Pesquisa da ABMES com 1 mil pessoas entre 18 e 30 anos e ensino médio completo mostra que 78,9% dos jovens têm interesse em ingressar no ensino superior, mas 50,5% disseram não ter condições para pagar

Metade dos jovens depende de programas do governo para cursar universidade

Para diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, programa de financiamento estudantil beneficia mais o país, em última instância, do que instituições privadas de ensino

Mais da metade dos jovens depende de programas do governo para cursar universidade

Pesquisa é da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior, que representa 1.200 unidades da rede particular. Só 17% da população que deveria estar na universidade na faixa etária de 18 a 24 anos consegue entrar em um curso superior

63,2% dos jovens aprovam nota mínima como exigência para o Fies

Os jovens que estão fora das universidades e ainda têm interesse em ingressar no ensino superior aprovam a maior rigidez de regras para o acesso ao Fies, como a exigência de nota mínima de 450 pontos no Enem. Segundo pesquisa encomendada pela Abmes, 63,2% acha que a nota mínima deve permanecer e 17,8% disse que ela deve aumentar

Setor de educação reforça pleitos por mais financiamento do governo

O setor de ensino superior privado está reforçando ações para garantir mais recursos ao financiamento de estudantes junto ao governo federal, de olho na formatação de novas regras para o programa Fies a partir do próximo ano que estão sendo preparadas em um ambiente de restrição orçamentária

Jovens brasileiros dependem dos programas sociais para cursar ensino superior

ABMES apresentou nesta quarta-feira (20), em São Paulo, dados inéditos por meio da Pesquisa "A visão dos jovens brasileiros sobre os programas sociais do MEC - A importância do Fies, ProUni e Pronatec"