Detalhe

Portal e-Democracia abre espaço para debate popular sobre a MP do Fies

22/08/2017 | Por: Câmara Notícias | 571
Divulgação

A Câmara lançou nesta terça-feira (22), no portal e-Democracia, um espaço para participação popular na análise da Medida Provisória 785/17, que altera as regras para concessão do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies).

O Fies é um programa do Ministério da Educação que financia cursos de graduação para estudantes de baixa renda em instituições particulares. Com as mudanças, o governo espera economizar cerca de R$ 300 milhões ao ano somente em taxas bancárias.

A comissão mista que analisará a MP realiza nesta quarta-feira (23) a primeira audiência pública sobre as mudanças no Fies. Editada em 6 de julho, recebeu 278 emendas de deputados e senadores e tem de ser aprovada pelo Congresso até janeiro.

Uma das alterações previstas no texto original do Executivo determina que o aluno comece a pagar o financiamento logo após a formatura. Pela regra atual, o estudante tem prazo de um ano para começar o pagamento.

Outra alteração refere-se ao limite da renda familiar mensal dos interessados no Fies. A atualmente é de no máximo três salários mínimos por pessoa, mas poderá chegar até a cinco salários mínimos para alunos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Impacto das mudanças

O relator da MP na comissão mista, deputado Alex Canziani (PTB-PR), ressaltou que as mudanças podem atingir milhares de estudantes. Assim, avaliou, é preciso garantir a participação de todos para que as alterações beneficiem o maior número possível de alunos.

“Queremos ouvir o beneficiário, aquele que vai utilizar o Fies, para saber que sugestões pode dar, para que possa alterar o texto da MP”, disse. Segundo Canziani, especialistas também vão apresentar contribuições.

Segundo o relator, nas novas modalidades propostas para o Fies, cerca de 100 mil vagas terão juro zero. Outras 150 mil vagas seriam reservadas a estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, com recursos dos fundos constitucionais e juros de até 3% ao ano.

São previstas outras 60 mil vagas para estudantes com renda familiar per capita mensal de até cinco salários mínimos, financiadas com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social.

Canziani disse ainda ainda que pretende negociar a criação de vagas adicionais com recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) e parcerias com o chamado Sistema S – que engloba Sesc e Senai, por exemplo.

Segundo Alex Canziani, o Fies é um instrumento importante para o Brasil cumprir uma das metas do Plano Nacional de Educação – a que prevê, até 2024, a garantia de matrícula de 50% da taxa bruta e 33% da taxa líquida de jovens de 18 a 24 anos no ensino superior. Hoje, esse índice está em 14%.

Audiência pública

.A primeira audiência pública da comissão mista sobre a MP do Fies está marcada para as 14h30 de amanhã, no Senado, no Plenário 2 da ala Nilo Coelho. Futuramente, estudantes e representantes do governo e do mercado financeiro também serão ouvidos.

Para o debate desta quarta-feira, foram convidados representantes das seguintes entidades:
- Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior de São Paulo (Semesp);
- Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES);
- Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE);
- Associação Nacional das Universidades Particulares (Anup
- Associação Brasileira de Estágios (Abres);
- Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenen);
- Campanha Nacional de Direito à Educação; e
- Movimento Todos pela Educação.


Conteúdo Relacionado

Legislação

MEDIDA PROVISÓRIA Nº 785, DE 06 DE JULHO DE 2017

Altera a Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001, a Lei Complementar nº 129, de 8 de janeiro de 2009, a Medida Provisória nº 2.156-5, de 24 de agosto de 2001, a Medida Provisória nº 2.157-5, de 24 de agosto de 2001, a Lei nº 7.827, de 27 de setembro de 1989, a Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, a Lei nº 8.958, de 20 de dezembro de 1994, e dá outras providências. 


Notícias

Representantes da área de educação criticam MP que altera as regras do Fies

Câmara Notícias: Sólon Caldas criticou, entre outros pontos, o fato de o governo não financiar 100% da mensalidade, o que faz com que o estudante não tenha como arcar com a diferença

Alteração do Fies retira caráter social do programa

Em audiência pública no Senado Federal, o diretor executivo da ABMES manifestou a preocupação de que o Fundo se torne uma política pouco eficiente

Comissão mista que analisa mudanças no Fies aprova plano de trabalho

A comissão mista responsável pela análise da Medida Provisória 785/2017, que trata do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), aprovou nesta quarta-feira (16) o seu plano de trabalho

Comissão mista que analisa mudanças no Fies aprova plano de trabalho

A comissão mista responsável pela análise da Medida Provisória 785/2017, que trata do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), aprovou nesta quarta-feira (16) o seu plano de trabalho

Comissão mista da MP que modifica o Fies discute plano de trabalho na quarta-feira

A Medida Provisória trata da redução de riscos fiscais, eleva as garantias da União e altera o perfil dos financiamentos concedidos pelo Fies, a serem definidos em três modalidades de contratação

As pressões contra o novo Fies

A Medida Provisória que impõe novas regras, a partir de 2018, para o funcionamento do Fundo de Financiamento Estudantil já recebeu 278 propostas de emendas