Detalhe

Associações europeias criam rede de educação superior particular

11/12/2017 | Por: ABMES | 957
Freepik

Com o objetivo de democratizar o acesso à educação superior, atender a demanda dos estudantes por mais cursos e fomentar a economia europeia, a associação francesa União das Grandes Escolas Independentes (UGEI); a Associação Portuguesa do Ensino Superior Privado (APESP); a Associação de Faculdades Privadas Alemãs; e a Associação Espanhola de Escolas de Negócios assinaram uma declaração que cria a primeira rede de educação superior particular da Europa.

No documento, as instituições afirmam estar conscientes dos desafios europeus que devem ser enfrentados no setor, principalmente no contexto de globalização, onde surgem cada vez mais novos modelos sociais alternativos. “O ensino superior particular europeu pretende desempenhar o seu papel no desenvolvimento da Europa e promover os valores da inclusão social, excelência acadêmica e científica, liberdade e democracia”, diz o texto.

Além disso, a declaração fala sobre a necessidade de reconhecer o papel desempenhado pelo setor no acolhimento e formação de estudantes e o desejo de aumentar a cooperação entre as instituições de educação da Europa.

Para isso, os signatários firmaram os compromissos de garantir educação e formação de alta qualidade e excelência acadêmica; promover a formação profissional e dos chamados “cursos sanduíches”; adaptar os programas aos desafios europeus do presente e futuro; formar cidadãos europeus responsáveis e conscientes das exigências de uma economia sustentável; contribuir para o desenvolvimento de regiões emergentes e antecipar mudanças no mercado de trabalho; e colaborar para o impulso da educação superior europeia.

Cooperações internacionais

A educação superior particular desempenha cada vez um papel mais relevante em países do mundo todo, em especial no Brasil e na Europa. Por isso, cooperações entre instituições internacionais ganham destaque e mais atenção ao longo dos anos.

Para a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), a criação desta rede é essencial para a aproximação da educação superior particular do Brasil com o continente europeu.


Conteúdo Relacionado

Notícias

Universidade belga oferece mestrado em Engenharia Automotiva Sustentável

Alunos do mundo todo podem se candidatar. Inscrições devem ser realizadas até 31 de dezembro

FRANÇA: Rennes School of Business (RSB)

A universidade se destaca por um ensino totalmente fornecido em língua inglesa. Por isso, apresenta um alto índice de internacionalização dos seus professores, sendo 90% estrangeiros e, entre eles, dois brasileiros

RÚSSIA: Universidade Internacional de Moscou (MUM)

Além dos cursos de bacharelado, mestrado, PhD, MBA, EMBA e DBA, a MUM oferece cursos únicos para empresas e também de requalificação

RÚSSIA: Universidade Russa da Amizade dos Povos (RUDN)

A RUDN é uma das principais instituições públicas de educação superior da Rússia

RÚSSIA: Universidade de São Petersburgo de Tecnologias de Gestão e Economia (SP UMTE)

A instituição conta com filiais em 10 cidades russas e possui mais de 20.000 alunos

RÚSSIA: Russian New University (RosNOU)

Fundada em 1991, a RosNOU, situada em Moscou, figura na lista das 100 melhores universidades russas (ranking de 2013)

Programa disponibiliza R$ 300 milhões para projetos de internacionalização

No total, serão selecionados até 40 projetos. As propostas devem ser apresentadas por instituições, que têm até o dia 18 de abril de 2018 para realizar as inscrições na página da Capes

CNPq reativa bolsas de doutorado sanduíche

Ao todo, serão beneficiados 120 projetos, totalizando cerca de 250 bolsas. A solicitação deve ser feita por meio da Plataforma Carlos Chagas do CNPq

Universidad Autónoma de Chiapas, no México, oferece bolsas de estudo

Programa está em conformidade com as políticas de internacionalização do Projeto Acadêmico 2014-2018 da instituição mexicana

Universidades de todo o mundo oferecem cursos de inglês on-line e gratuitos

Opções vão desde o aprendizado do idioma em si até estudos especializados, como inglês para negócios e para entrevistas de emprego