Detalhe

Mais livros, menos blindados

26/11/2018 | Por: Correio Braziliense | 560
Foto: Divulgação/Janguiê Diniz

Em 2016, o Brasil alcançou a marca histórica de 62.517 homicídios. O dado faz parte do Altas da Violência 2018, relatório divulgado pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) e pelo Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicada (Ipea). Desse total, 33.590 eram jovens (15 a 29 anos).

Não é novidade que há algumas décadas vivemos uma situação de “violência epidêmica”. Ano após ano, os números relacionados a esse universo só crescem. Homicídio, sequestro relâmpago, assalto, furto e estupro são palavras que cada dia mais fazem parte do nosso cotidiano. A situação é tão grave que há cerca de um ano o jornal Extra, do Rio de Janeiro, criou uma editoria intitulada “Guerra no Rio”. Exagero? De forma alguma. O Atlas da Violência contabiliza 553 mil pessoas assassinadas no país nos últimos 11 anos, número maior do que os 500 mil mortos ao longo dos sete anos de guerra na Síria.

Nesse contexto, o governo federal publicou, em junho de 2018, uma medida provisória que redireciona recursos da educação, da saúde, do esporte e da cultura para o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP). Os recursos serão destinados a ações como construção e reforma de unidades policiais, aquisição de materiais e equipamentos para a segurança pública, inteligência e capacitação de profissionais, integração de sistemas e bases de dados, serviço de recebimento de denúncias, entre outras. No entanto, será esse o caminho que devemos seguir se quisermos, realmente, reduzir nossos índices de violência? Será que investir no aparelhamento das forças de segurança é a melhor solução para enfrentar a criminalidade em uma nação tão desigual quanto o Brasil?

Levantamento realizado pela ONG internacional Save the Children constatou que de 37 acordos de paz assinados no mundo entre 1989 e 2005, 26 mencionam reformas na educação como estratégia fundamental para a resolução dos conflitos. No Brasil, análise do Ipea revelou que destinar mais recursos para a educação impacta diretamente na redução da taxa de homicídios. Segundo o Instituto, para cada 1% a mais de jovens entre 15 e 17 anos nas escolas, há uma redução de 2% na taxa de pessoas assassinadas. Outro dado do Ipea é o de que 51% dos adolescentes em conflito com a lei não frequentavam uma instituição de ensino na época do delito.

Esses dados evidenciam a relação entre educação e violência nas suas mais distintas representações. Não se trata de uma equação simples, sabemos disso. Mas também não é possível que governo após governo continue tampando os olhos para o fato de que investir em educação, saúde, redução das desigualdades e injustiças sociais é o caminho que precisamos trilhar se quisermos, de fato, viver em segurança e construir uma cultura de paz.


Conteúdo Relacionado

Notícias

Investimentos no Ensino Superior

A Tribuna: Editorial utiliza dados levantados pela ABMES sobre investimentos necessários em educação para que o país cumpra a meta fixada pelo PNE

De olho no futuro, mas presos ao passado

Estadão: Em artigo, o diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, relata sobre a modernização do processo educacional

"Sou um defensor da educação no país"

Janguiê Diniz já tem 17 livros publicados, entre eles sua biografia, intitulada "Transformando sonhos em realidade - a trajetória do ex-engraxate que chegou à lista da Forbes"

Sem investimento em educação, a corrupção não vai acabar

Fundador do grupo que fatura mais de R$ 1 bilhão por ano, com 170 mil alunos, Janguiê Diniz quer liderar a transformação no ensino com o apoio do novo governo

ABMES se apresenta a Ricardo Vélez Rodríguez, novo ministro da Educação

Por meio do seu diretor executivo, a Associação pontou a longa parceria estabelecida e a disposição para continuar atuando de forma conjunta

Portaria permite que até 40% das graduações presenciais sejam dadas a distância

O Globo: Segundo o diretor executivo da ABMES, Sólon Caldas, a ampliação é uma flexibilização que beneficia os alunos e não o setor privado

A educação brasileira diante do espelho

Estadão: Em artigo, o diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, fala sobre algumas estatísticas analisadas e comentadas pelo Inep em evento recente da Associação

Políticas públicas - A porta de entrada para o Ensino Superior

Pesquisas realizadas pela ABMES revelam a importância de ações governamentais para que estudantes tenham acesso à formação superior

ProUni: Confira edital com as datas e regras do programa

Programa do Ministério da Educação oferece bolsas de estudos pelas notas do Enem. Inscrições são abertas duas vezes ao ano

Falta de Educação gera Corrupção é o título do novo livro de Janguiê Diniz

Lançamento da 18º obra do autor será no dia 28 de junho, no campus da Uninassau Boa Viagem

Livro "Falta de educação gera corrupção" será lançado no XI CBESP

A obra, assinada por Janguiê Diniz, presidente da ABMES, explica que a educação é um instrumento transformador e libertador dos indivíduos. Os interessados poderão adquirir o livro em primeira mão durante o Congresso

Artigo - Sistema educacional brasileiro: uma análise crítica

Diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, fala sobre a sustentabilidade do sistema educacional brasileiro e a necessidade de se cobrar no ensino superior mensalidades nas IES federais

Janguiê Diniz: Demagogia no caminho da educação de qualidade

Correio Braziliense | Em artigo, o diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, fala sobre a importância do fortalecimento e respeito aos órgãos responsáveis pela pauta educacional do país

Em discurso, diretor presidente da ABMES ressalta conquistas da educação superior em 2017

Ao abrir o Painel ABMES, Janguiê Diniz apresentou resultados e reafirmou o compromisso da Associação com o setor da educação superior particular

Janguiê Diniz: Educação brasileira e o contexto global: por que não avançamos?

Correio Braziliense | Em artigo, o diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, fala sobre o quanto a transformação de uma política social em política econômica pode comprometer o progresso do país

Janguiê Diniz: ABMES, 35 anos de história

Correio Braziliense: A história da ABMES sempre foi construída por pessoas fortes, determinadas e visionárias

Fies tem de ser também social, avalia presidente da ABMES

Correio Braziliense: Para Janguiê Diniz, que preside a Associação, o governo erra ao tratar o financiamento estudantil só pelo aspecto financeiro

Private higher education in Brazil: fueling economic growth

Revista International Higher Education: O presidente da ABMES, Janguiê Diniz, o vice-presidente Celso Niskier e a consultora, Lioudmila Batourina, falam sobre a importância da educação superior particular

Janguiê Diniz lançará livro com reflexões sobre o Brasil

O evento acontece no dia 04 de abril, durante o próximo seminário promovido pela ABMES

Janguiê Diniz: O papel das instituições de educação superior particulares na engrenagem do Fies

Correio Braziliense | Em artigo, o diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, fala sobre a importância das instituições particulares para o funcionamento do Fundo de Financiamento Estudantil

Janguiê Diniz lança livro Ação Rescisória dos Julgados, em Aracaju/SE

Lançamento foi feito a inauguração do novo campus da Faculdade Maurício de Nassau na capital sergipana