Detalhe

Cursos de graduação poderão ter mais aulas a distância

02/01/2019 | Por: Revista Encontro | 463
Foto: Revista Encontro/Divulgação

Em portaria publicada na última segunda, dia 31 de dezembro, no Diário Oficial da União (DOU), o Ministério da Educação (MEC) decidiu que os cursos de graduação presenciais poderão ter até 40% das aulas no formato educação a distância (EAD). O limite anterior era de 20%. Mas, a medida não vale para as áreas de Saúde e Engenharia.

A portaria estabelece que os estudantes devem ser informados pelas instituições de ensino superior que parte do curso presencial será ministrada a distância. As instituições devem detalhar, de maneira objetiva, as disciplinas, conteúdos, metodologias e formas de avaliação dessas aulas. Além disso, mesmo que sejam ministradas como EAD, as avaliações e as atividades práticas exigidas devem ser realizadas presencialmente na sede ou em algum dos campi da faculdade ou universidade.

De acordo com a nova regra, para ofertar até 40% da carga horária do curso a distância, a instituição de ensino superior deve cumprir alguns requisitos como estar credenciada junto ao MEC nas modalidades presencial e a distância e ter um conceito institucional igual ou superior a quatro. Por sua vez, o curso com parte das aulas a distância também precisa ter conceito igual ou superior a quatro – a escala vai de um a cinco e é medida anualmente pelo Enade.
Repercussão

A portaria do MEC foi elogiada pelas mantenedoras de ensino privado. As particulares detêm a maior parte das matrículas no ensino superior no Brasil, 75,3%, de acordo com o último Censo da Educação Superior. Detêm também 90,6% das matrículas em EAD.

Segundo Sólon Caldas, diretor da Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), em entrevista à Agência Brasil, a medida "vem ao encontro do movimento que o mundo todo está fazendo no que diz respeito ao acesso à educação por meio da tecnologia". "O benefício para os estudantes é maior ainda ao flexibilizar e permitir que tenham acesso ao conteúdo da forma e em horário que melhor lhes convier", completa o especialista.

Para o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (Andes) a preocupação é com a qualidade do ensino, uma vez que cursos a distância têm pior desempenho que os presenciais nas avaliações do MEC. O sindicato reclama à agência estatal de notícias que a comunidade acadêmica não foi consultada antes da medida ser tomada.

"Uma coisa é país que universalizou a educação com qualidade introduzir aulas a distância como tecnologia para uma parte, uma parcela ou um segmento. Outra coisa é um país, como o Brasil, que sequer universalizou um ensino básico e o superior não atinge nem 40% da população. O ensino superior no Brasil é algo que já é restrito, não é para todos e vai ser de mais baixa qualidade", diz Eblin Farage, secretária-geral do Andes, à Agência Brasil.


Conteúdo Relacionado

Vídeos

EAD para pós-graduação e ampliação da modalidade em cursos presenciais

No fim de 2018 algumas notícias importantes movimentaram a educação superior brasileira: a regulamentação de programas de pós-graduação stricto sensu na modalidade EAD e a ampliação de aulas nessa modalidade que podem ser ofertadas nos cursos de graduação presenciais, o limite passou de 20% para 40%. Confira neste vídeo alguns pontos importantes dessas medidas e tire suas dúvidas

Um ano do Decreto da EAD - o que mudou?

Após um ano da publicação do Decreto Nº 9.057, que regulamentou a educação a distância no Brasil, a modalidade se tornou ainda mais popular. Confira mais informações sobre a EAD neste vídeo produzido pela ABMES TV.

Legislação

PORTARIA CAPES Nº 275, DE 18 DE DEZEMBRO DE 2018

Dispõe sobre os programas de pós-graduação stricto sensu na modalidade a distância.


PORTARIA MEC Nº 1.428, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2018

Dispõe sobre a oferta, por Instituições de Educação Superior - IES, de disciplinas na modalidade a distância em cursos de graduação presencial.


Notícias

Mestrado e doutorado a distância

Programas de pós-graduação stricto sensu na modalidade EAD são regulamentados no País

Cursos de graduação podem ofertar até 40% de aulas a distância

Jornal do Comércio: Sólon Caldas, o diretor executivo da ABMES, comenta sobre a portaria publicada pelo MEC que diz respeito à modalidade EAD em cursos presenciais de graduação

Graduação pode ter até 40% das aulas a distância

Hoje em Dia: O diretor executivo da ABMES, Sólon Caldas, fala sobre a flexibilidade no aprendizado com a modalidade EAD

Cursos de graduação podem ofertar até 40% de aulas a distância

Agência Brasil: Diretor executivo da ABMES, Sólon Caldas, afirma que a medida vai ao encontro do movimento que o mundo todo está fazendo

Cursos de graduação do país poderão ofertar até 40% de aulas a distância

Campo Grande News: Matéria traz fala do diretor executivo da ABMES, Sólon Caldas, afirmando que o benefício será maior ainda para os estudantes

Portaria permite que até 40% das graduações presenciais sejam dadas a distância

O Globo: Segundo o diretor executivo da ABMES, Sólon Caldas, a ampliação é uma flexibilização que beneficia os alunos e não o setor privado

Cursos de graduação podem ofertar até 40% das aulas a distância

R7: Para a ABMES, as IES que oferecerem essa possibilidade vão estar amparadas em um alto padrão de qualidade, haja vista os requisitos de oferta

Regulamentação de pós-graduação stricto sensu a distância

Os cursos serão acompanhados e avaliados periodicamente pela Capes