Detalhe

Proposta suspende criação de cursos de medicina por cinco anos

17/11/2017 | Por: Correio Braziliense | 632

Decreto que suspende criação de novos cursos de medicina no Brasil por ao menos cinco anos está no Planalto e aguarda assinatura do presidente Michel Temer. Proposta foi elaborada pelo Ministério da Educação. 

De acordo com o Ministério da Educação (MEC) a medida visa a sustentabilidade da política de formação médica no Brasil, para preservar  a qualidade do ensino. 
 
Para a decisão, o MEC levou em conta os dados da Organização Mundial de Sáude (OMS), que apontam que o Brasil atingiu as metas de alunos/vagas estabelecidas, de cerca de 11 mil por ano.

Em nota, o MEC afirmou que, durante o período de suspensão,promoverá um amplo e profundo estudo sobre a formação médica no Brasil, que contará com a cooperação do Conselho Federal de Medicina (CFM), associações médicas nacionais e será elaborado por especialistas e consultores com reconhecimento internacional. 
 
De acordo com a nota, a medida não afetará os editais de abertura de cursos em andamento. A atual gestão, quando assumiu, em maio de 2016, retomou e deu agilidade aos processos que estavam morosos e até parados. Os editais nacionais que contemplam principalmente as regiões Sul e Sudeste seguem normalmente, com um deles em fase final de autorização de instituições. Já para o  Norte, Nordeste e Centro-Oeste, o MEC dará continuidade ao edital que contempla essas regiões.
 
A Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) declarou que considera a decisão um retrocesso, que compromete sobremaneira o desenvolvimento do país e o atendimento à população naquilo que é um direito humano fundamental, o direito à saúde. Ainda afirmam que a  medida vai na contramão das necessidades brasileiras, além de apresentar equívocos legais e ignorar aspectos relevantes da regulamentação da educação superior.

Sobre a justificativa do MEC de que a decisão é visando uma maior qualidade no ensino, a ABMES diz que estancar a criação de novas graduações na área não tem qualquer relação com a garantia da qualidade dos serviços prestados e nem dos profissionais que são disponibilizados no mercado de trabalho. As instituições de ensino passam anualmente por avaliações feitas pelo próprio Ministério, cujo processo inclusive está sendo reformulado. 


Conteúdo Relacionado

Notícias

O EAD nas graduações de saúde

Ensino Superior a distância tem crescido e pode ser um forte instrumento para o desenvolvimento do país

ABMES defende EAD na área da saúde em audiência pública na Câmara dos Deputados

Debate aconteceu um dia antes da votação do PL 5414/2016 na Comissão de Educação

Educação debate cursos a distância na área de saúde

O debate foi pedido pelo deputado Átila Lira (PSB-PI), relator da proposta na comissão

Câmara fará nova audiência pública sobre PL que proíbe EAD para cursos de saúde

Votação do projeto foi adiada a pedido do deputado federal José Saraiva, que afirmou precisar de mais informações sobre o tema

Após suspender novos cursos de medicina, MEC nega ação em outras graduações

"Não há risco de que outros cursos sofram ou tenham que se submeter a medida semelhante", disse Mendonça Filho

Projeto prevê que Conselho Federal avalie cursos de Medicina

É o que estabelece um projeto (PLS 312/2015), de autoria do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)

Após MEC anunciar suspensão de novos cursos de Medicina, CRF-SP quer barrar graduações de Farmácia

Entidade argumenta que no Brasil são abertas anualmente mais de 130 mil vagas de graduação em Farmácia, 'quantidade já considerada exagerada'

Apesar de veto a novos cursos por 5 anos, MEC mantém liberação de 1,5 mil vagas para medicina no país

G1: Em nota, a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) disse que a medida é um retrocesso

Proibição de novos cursos de Medicina é retrocesso, afirma ABMES

Suspender por mais cinco anos a liberação de novas graduações na área levaria a 10 anos de entraves para a formação de médicos no Brasil

Associações criticam decisão sobre curso de medicina e cobram base técnica

UOL: O Fórum enviou ofício ao MEC, pedindo que "pondere a possibilidade" de não levar à frente a medida, diante da "necessidade de formação de profissionais na área"

Governo federal vai suspender a abertura de novos cursos de medicina, diz MEC

G1: Em nota, a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) disse que a medida é um retrocesso

Governo vai suspender por 5 anos criação de cursos de Medicina no País

Estadão: Não vejo sentido em impedir a abertura de novos cursos, sob a justificativa de que os que temos são ruins, disse Sólon Caldas, diretor executivo da ABMES