Detalhe

Capitais têm 4 vezes mais médicos do que cidades do interior

16/08/2018 | Por: ABMES | 1208

Dos 451.777 médicos cadastrados no país, 55% atuam nas 27 capitais. Ao traçar a relação entre o número de profissionais nesses locais e o de habitantes, verifica-se que as capitais possuem 5,1 médicos para cada 1.000 habitantes contra 1,3 profissionais para a mesma quantidade de pessoas que vivem no interior dos estados.

Os dados fazem parte de levantamento realizado pela ABMES em parceria com a Educa Insights que utilizou dados do Conselho Federal de Medicina (CFM), do Censo da Educação Superior 2016 e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Entre as unidades da Federação, a que tem a maior proporção de médicos em relação à população é o Distrito Federal (4,4), seguido pelo Rio de Janeiro (3,6). Na outra ponta, estão o Maranhão (0,9) e o Pará (1,0). Entretanto, o estado com a maior desigualdade na divisão de profissionais entre a capital e o interior é Sergipe, com proporções de 5,44 e 0,19, respectivamente. Com esse cenário, o índice de desigualdade do estado atinge a elevada marca de 28,5, o dobro da verificada no Maranhão, unidade da Federação que ocupa a segunda posição no ranking.

Novos cursos e a manutenção da qualidade
O salto verificado nos últimos anos com relação ao número de ingressantes, especialmente entre os anos de 2013 e 2014, resultam em uma média anual de crescimento de 13% nas vagas ofertadas pelas instituições particulares e de 12,5% nas públicas.

Apesar desse crescimento, a análise dos principais indicadores de qualidade mostra que a performance se manteve muito parecida ao longo dos anos, independente de quando o curso começou a ser ofertado pela instituição, o que pode indicar manutenção da qualidade do curso mesmo com a entrada de novas instituições.

Por exemplo, o Conceito de Curso (CC) que antes de 2000 era 3,7, a partir de 2000 passou a ser de 3,9. Já o Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD) que era de 3,0 antes de 2000 passou para 3,2 após essa data.


Conteúdo Relacionado

Notícias

Conselho Federal lança código de ética do estudante de medicina

Documento trata sobre temas como trotes, relação com cadáver e uso de whatsapp

Cursos de Medicina não podem ser mais criados no Brasil; qual é o verdadeiro motivo?

Quero Bolsa: Sólon Caldas, diretor-executivo da ABMES, não existem justificativas plausíveis para a aprovação da portaria, visto que o único a ser prejudicado futuramente é a própria população brasileira

MEC barra abertura de novos cursos de medicina até 2023 e recebe duras críticas de instituições privadas

Reuters: Na avaliação da ABMES, a portaria atende ao clamor da classe médica e trará enormes prejuízos à saúde e à educação superior no Brasil, sendo 'retrocesso que compromete o desenvolvimento do país'

MEC quer proibir novos cursos de medicina. Mas o Brasil tem mais médicos do que precisa?

Órgão justifica decisão a partir da necessidade de diagnosticar e melhorar a qualidade dos cursos existentes; país ainda diploma menos profissionais do que europeus

Projeto prevê que Conselho Federal avalie cursos de Medicina

É o que estabelece um projeto (PLS 312/2015), de autoria do senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB)

MEC seleciona mantenedoras de instituições para implantação de curso de medicina

O documento é voltado para as mantenedoras de instituições de educação superior do sistema federal de ensino

MEC assegura compromisso com reforço à formação de médicos

Ministro Mendonça Filho informou que será divulgada em setembro lista dos municípios selecionados para receber cursos de medicina

Propostas de autorização de cursos de Medicina terão resultados divulgados em julho e agosto

A prorrogação do prazo foi necessária para que a comissão de especialistas responsável por avaliar as propostas tenha mais tempo para a análise dos documentos

Novo edital muda as regras para a seleção dos municípios que podem receber os cursos de Medicina

Para a nova chamada, foram pré-selecionadas 22 cidades de oito estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste. Nesses estados, a relação de vagas em cursos de medicina por 10 mil habitantes é inferior a 1,34; o índice de médicos a cada mil habitantes, menor que 2,7

Entenda o debate sobre as mudanças nos cursos de medicina

MEC queria graduação em 8 anos mas decidiu manter em 6 anos. Em nova proposta, formados terão de fazer residência no SUS

Coluna

Educação Superior Comentada | A suspensão das autorizações e dos pedidos de aumento de vagas dos cursos de Medicina

Na edição desta semana, o consultor jurídico da ABMES, Gustavo Fagundes, comenta a suspensão das autorizações e dos pedidos de aumento de vagas para os cursos de Medicina no âmbito do sistema federal de ensino. Segundo o especialista, simplesmente vedar, ainda que por prazo certo e determinado, a entrada de novos players no mercado, com a devida vênia dos gestores do MEC, não vai gerar a melhoria almejada na qualidade dos cursos