Detalhe

Internacionalização da educação nas faculdades de Direito

12/01/2018 | Por: Jota | 387
Pixabay

Os resultados na globalização foram sentidos em diversos setores, dentre eles, a educação. Saber o que um autor estrangeiro pensa sobre determinado assunto nunca foi novidade na educação, o que a globalização trouxe de inovação do ensino foi o acesso rápido para troca de conhecimento, troca de método e intercâmbio cultural.

Na faculdade de Direito, durante bom período no Brasil, quando se pensava em internacionalização, pensava-se na disciplina de Direito Internacional, quando a disciplina que conseguia se comunicar o restante do globo. Hoje a realidade é outra.

O processo de globalização da economia mundial aumentou a exigência da valorização do conhecimento, já que a busca pela inovação por meio do desenvolvimento científico é uma das formas de garantir a participação em nível global. Nesse sentido, a internacionalização do ensino superior no país é uma realidade e uma necessidade para alavancar o processo educacional.

A internacionalização do ensino no Brasil encontra-se ainda muito está limitada, por diversos motivos, dentre eles: problemas linguísticos, uma vez que poucas universidades oferecem programas em língua inglesa; estruturas de programas pedagógicos ainda rígidos; baixa experiência internacional dos docentes; disponibilidade dos recursos específicos para essa área.

O incentivo para a internacionalização, por outro lado, apresenta-se de variadas formas. Há um aumento crescente dos alunos para participar de intercâmbio na graduação e na pós-graduação, e,  grandes universidades têm investido no fortalecimento de cooperação entre pesquisadores e instituições, bem como programas nacionais de financiamento da cooperação internacional (Capes e CNPQ).

O problema de o Brasil ainda ser um país em desenvolvimento dificulta a internacionalização, uma vez que o custo para levar alunos e professores ao exterior é alto, direcionando a estratégia de internacionalização para um meio mais eficiente, que é o incentivo à presença (captação) de professores estrangeiros nos cursos oferecidos no país.

Nesse sentido, um dos exemplos que temos hoje de internacionalização do ensino superior nas faculdades de Direito, acessível aos estudantes brasileiros que visam ter uma experiência internacional sem viajar ao exterior, é o curso oferecido pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, que deu um passo à frente instaurando o programa de verão denominado Exchanging Hemispheres.

Trata-se de um curso de verão destinado a estudantes de Direito, Administração, Relações Internacionais, Psicologia, advogados e demais profissionais que desejam aprofundar seus conhecimentos e aprender novas habilidades em suas áreas de especialidade.

O curso, baseado nos summer courses das universidades do exterior, almeja aprimorar o conhecimento em 3 áreas: educação em clínicas jurídicas, mediação e técnicas de negociação e Direito Internacional dos Direitos Humanos. As aulas são apresentadas inteiramente em inglês, visando a completa inserção do aluno na internacionalização do ensino, ocorrendo em período integral entre 15 e 19 de janeiro de 2018.

O curso de acesso à Justiça, ministrado pelo professor Alan Russell da London South Bank University, é direcionado àqueles interessados em mudança social, fornecendo ferramentas para as clínicas jurídicas existentes nas grandes Universidades da Europa e Estados Unidos.

Já o curso de Direito Internacional dos Direitos Humanos, Regional and Universal Human Rights System towards International Justice, ministrado pelo professor Alexander Morawa da American University, visa capacitar os estudantes sobre o sistema ONU para proteção de Direitos Humanos bem como os sistemas regionais, dando uma visão ampla desse ramo do Direito.

O de mediação, ministrado pelo professor Jim Craven da Pepperdine University, irá explorar o processo e a dinâmica da intervenção de um terceiro no conflito. Por fim, o curso de Negociação, ministrado pelo professor Marcelo Rosadilla, também da Pepperdine,  irá fornecer base para técnicas avançadas de negociação e resolução de casos em concreto.

Access to Justice and Clinical Legal Education: Theory, Practice and Skills: http://up.mackenzie.br/extensao/cursos-de-extensao-2018/direito/access-to-justice-and-clinical-legal-education-theory-and-skills-exchanging-hemispheres-15-a-1901/

Regional and Universal Human Rights System towards International Justice: http://up.mackenzie.br/extensao/cursos-de-extensao-2018/direito/regional-and-universal-human-rights-system-15-a-1901/

Mediation Theory and Practice: http://up.mackenzie.br/extensao/cursos-de-extensao-2018/direito/mediation-theory-and-practice-exchanging-hemispheres-15-a-1901/

Negotiation: Theory and Practice: http://up.mackenzie.br/extensao/cursos-de-extensao-2018/direito/negotiation-theory-and-practice-15-a-1901/


Conteúdo Relacionado

Notícias

ABMES participa de webinar internacional

A Associação falou sobre as IES brasileiras e o cenário da educação superior particular no Brasil

Internacionalização em casa - experiência das ABMES no IV Congresso Internacional do Unis

Durante cinco dias, de 22 a 27 de abril, a iniciativa reuniu 600 participantes. A ABMES foi um dos palestrantes do evento

IAU convida associados ABMES para participar de pesquisa global

A ABMES incentiva seus associados a participarem e contribuírem com a pesquisa para, principalmente, tornar a educação particular brasileira cada vez mais visível no mundo

Resultados e impressões sobre a Faubai 2018

Artigo da consultora de parceria internacional da ABMES, Lioudmila Batourina, contando sua experiência durante a 30ª edição da conferência da Associação Brasileira de Educação Internacional (Faubai), ocorrida de 14 a 18 de maior, no Rio de Janeiro/RJ

ABMES divulga oportunidades internacionais na área de educação

Cronogramas e instruções sobre os programas na área de educação internacional são atualizados rotineiramente pela ABMES

Fulbright oferece bolsa para aperfeiçoamento profissional nos EUA

Inscrições podem ser feitas online até 27 de maio

Capes divulga chamada do Programa de Apoio a Eventos no País

O edital atenderá os eventos do segundo semestre de 2018, que tenham data de início no período entre 1º de agosto e 31 de janeiro de 2019

Prorrogadas até 21 de fevereiro as inscrições para programas internacionais da Capes

Os editais ofertam vagas para programas de Professor Visitante (PVE), Pós-doutorado e Doutorado-pleno no exterior. Todas as vagas têm previsão de início dos estudos a partir de agosto a novembro de 2018

Confira as oportunidades internacionais que estão abertas para estudantes e docentes brasileiros

Cronogramas e instruções sobre os programas na área de educação internacional são atualizados rotineiramente pela ABMES

Divulgado novo prazo de inscrição para programas internacionais da Capes

Para estarem aptos, os candidatos deverão observar os requisitos descritos em cada edital

Novo regulamento unifica normas de programas internacionais da Capes

A principal novidade trazida pela Portaria nº 8 é o termo de compromisso do coordenador de projeto, documento que esclarece as atribuições do gestor da proposta aprovada

RUDN convida IES brasileiras para participarem do Erasmus+

Instituições que ofertam curso de Medicina devem manifestar interesse até 08 de fevereiro. O projeto terá três anos de duração

Programa disponibiliza R$ 300 milhões para projetos de internacionalização

No total, serão selecionados até 40 projetos. As propostas devem ser apresentadas por instituições, que têm até o dia 18 de abril de 2018 para realizar as inscrições na página da Capes

Internacionalização do ensino superior precisa avançar, sugere estudo da Capes

De acordo com o estudo, existe no Brasil uma tendência à internacionalização passiva (mobilidade de docentes e discentes para o exterior), com baixas taxas de atração de profissionais internacionais