Detalhe

Faculdades fazem parceria com Santander para atrair alunos para 2022

19/11/2021 | Por: Valor Econômico | 658

Com a redução dos casos de covid e maior retorno às atividades presenciais, as instituições privadas de ensino superior e o Santander Universidades, braço de educação do banco, firmaram uma parceria para aumentar o volume de novas matrículas no próximo processo seletivo.

Os alunos que aderirem ao movimento — batizado de #EuSouOFuturo — vão receber descontos e outros benefícios personalizados conforme o seu perfil, que podem ser desde abatimento em mensalidades e matrículas até bolsas para outros cursos complementares à graduação.

“Não vamos conceder descontos padronizados. A ideia é atender conforme a necessidade de cada um”, disse Celso Niskier, presidente da Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes).

A adesão funciona da seguinte forma: o aluno entra numa plataforma, administrada pelo Santander Universidades, inscreve seu curso e região de interesse. O sistema dá a opção de três instituições de ensino que irão oferecer os benefícios ao estudante que escolhe a alternativa que melhor se encaixa às suas necessidades.

Cerca de 65% das instituições associadas à Abmes aderiram ao movimento. Entre elas estão, por exemplo, Ânima, Ser Educacional, Unicarioca, Unip, Yduqs, UniCesumar, Cruzeiro do Sul, Trivento, entre outras que juntas contam com 5,2 mil unidades entre campis e polos de ensino a distância.

A expectativa é que o movimento atraia o interesse de 40 mil alunos até 31 de janeiro de 2022.

“É uma iniciativa muito interessante para os grupos educacionais de menor porte que não têm condições de arcar com investimento de marketing digital desse porte”, disse Débora Guerra, diretora da Abmes e da Trivento.

O Santander está usando suas redes sociais e influencers como Camila Loures e Gil do Vigor, ex-participantes do BBB, para divulgar a plataforma. “Queremos resgatar esses alunos que abandonaram o projeto de ingressar no ensino superior nesta pandemia”, disse Patricia Audi, vice-presidente do Santander.

Nesta primeira fase do projeto, o papel do banco é atuar como disseminador do movimento, sem aportes financeiros. Mas não está descartado que no futuro sejam ofertados crédito estudantil e outras ferramentas semelhantes. Hoje, o banco atua na área de educação por meio do Santander Universidades que concede bolsas de estudos. Durante os 25 anos de existência do programa, o banco investiu 2 bilhões de euros na concessão de bolsas de estudos, sendo 30 mil no Brasil.