Detalhe

Adiamento do Enem pode atrasar ingresso de 3,5 milhões de participantes no ensino privado, aponta levantamento

28/07/2020 | Por: g1 | 229
Foto: Reprodução/ G1

O adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2020 poderá tirar ao menos 3,5 milhões de estudantes do ensino superior privado, de acordo com um levantamento da Associação Brasileira das Mantenedoras do Ensino Superior (ABMES), divulgado nesta terça-feira (28).

O número se refere a estudantes que se inscreveram no Enem de olho na nota de desempenho, com base na edição de 2019. Além de permitir a disputa de vagas em universidades públicas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Enem é usada nas instituições particulares como forma de vestibular, para concessão de bolsas de estudo, ou descontos progressivos nas mensalidades.

A nota no exame também é critério de acesso a programas públicos como o Universidade para Todos (Prouni), que oferece bolsas de estudo parciais (que cobrem 50% da mensalidade) e integrais para cursos de graduação e de formação continuada em universidades particulares; e o Financiamento Estudantil (Fies), que oferece empréstimo para o pagamento de mensalidades, de acordo com a renda do estudante. Ao todo, o Enem de 2020 teve 5,8 milhões de inscritos – 96 mil na versão digital da prova.

O Enem 2020 estava previso para ser realizado em novembro, mas com o avanço da pandemia, o Ministério da Educação decidiu adiar a prova para janeiro e fevereiro, com divulgação de resultados em 29 de março.

O levantamento faz parte da 4ª fase do estudo “Coronavírus e Ensino Superior: o que os alunos pensam”, da empresa de pesquisas educacionais Educa Insights, divulgado pela ABMES.

O impacto do adiamento do Enem pode ser percebido pelos dados da pesquisa: 76% dos entrevistados declararam que o principal motivo para realização do Enem neste ano é conseguir o melhor desconto possível ou bolsa de estudo. A maioria das matrículas (64%) no ensino superior privado são feitas aós a divulgação dos resultados e início do ano letivo, que neste ano ocorrerá apenas no fim de março. Segundo a ABMES, 80% dos estudantes realizam a matrícula após o conhecimento da nota obtida.

'Apagão' do ensino superior
Sólon Caldas, diretor-executivo da ABMES, cita ao menos quatro fatores que podem contribuir para a queda de matrículas no ensino superior e a formação de jovens. A consequência será um número reduzido de formados e um apagão da mão de obra em 5 anos:

evasão e inadimplência: com o aumento do desemprego e a redução de renda, os matriculados enfrentam dificuldades de pagar as mensalidades; novos ingressos estão ainda mais reduzidos;

cortes no financiamento estudantil: o governo federal propôs reduzir em 46% a oferta de financiamentos de mensalidades em universidades particulares a partir de 2021

reforma tributária e aumento de impostos: texto prevê aumento de impostos de até 11% para instituições de ensino superior privado, o que será repassado para as mensalidades

Prouni: MP 934 aprovada no Senado vincula o ingresso de alunos via Prouni à divulgação do resultado do Enem, o que impediria na prática a seleção do Prouni do primeiro semestre de 2021

"Não haverá ingressantes por meio do Enem no primeiro semestre e governo ofereceu mudança de impostos que vai onerar o setor em até 11%. Quando houver repasse de até 11% na mensalidade, o aluno vai evadir", afirma Sólon Caldas.

"Junto com isso, governo está retirando do Prouni alguns tributos, que a instituição, ao oferecer a bolsa, teria abatimento desses tributos. Se o governo está tirando das instituições estes tributos, as instituições não vão oferecer estas bolsas. Estamos com dois problemas que podem levar ao apagão de mão de obra nos próximos anos: o Enem e a reforma tributária, com aumento de impostos e a retirada da isenção do Prouni", reflete Caldas.


Conteúdo Relacionado

Vídeos

Seminário Virtual ABMES | Coronavírus e educação superior: 4ª onda do estudo

Confira a íntegra do seminário virtual da ABMES "Coronavírus e educação superior: 4ª fase do estudo sobre o que pensam os alunos". Coordenação: Celso Niskier, diretor presidente da ABMES Participação: Daniel Infante, sócio-fundador Educa Insights Sólon Caldas, diretor executivo da ABMES

CNN | Estudo aponta apagão de matrículas em universidades

Matéria veiculada pela CNN Brasil no dia 28 de julho de 2020 traz dados da 4ª fase da pesquisa "Coronavírus e educação superior: o que pensam os alunos", realizada pela Educa Insights e divulgada pela ABMES

Notícias

Faculdades oferecem descontos nas mensalidades para evitar a evasão de alunos

Bom Dia Brasil: Pesquisa feita pela ABMES aponta que 39% dos estudantes adiaram o plano de entrar no ensino superior

Estudantes temem atraso na divulgação do resultado do ENEM

SBT Brasil : Com o adiamento da prova para janeiro, a nota só deve sair em março, depois do período de matrícula

O adiamento do Enem poderá tirar mais de 3 milhões de estudantes do ensino superior privado

O Sul: As informações fazem parte da 4ª fase do estudo “Coronavírus e Ensino Superior: o que os alunos pensam”, elaborado pela empresa de pesquisas educacionais Educa Insights e divulgado em parceria com a ABMES

Adiamento do Enem prejudica sonho de 3,5 milhões de alunos no país

Esse é o número de estudantes que devem buscar vaga em universidades privadas, mas precisam de resultado do exame, previsto para março de 2021

Adiamento do Enem pode agravar "apagão" de mão de obra no país, alerta associação

Zero Hora: ABMES indica que mudança nas datas do exame inviabiliza o ingresso de estudantes em universidades privadas no primeiro semestre de 2021

Adiamento do Enem pode criar 'apagão' de novos profissionais qualificados

Mudança na data do exame para janeiro de 2021 poderá provocar uma postergação de matrículas nas faculdades do País

Cresce número de estudantes que adiam planos da graduação para 2021, revela pesquisa

Pesquisa divulgada pela ABMES, nesta terça-feira (28), aponta que o estudante adiou os planos da graduação, em grande parte, para o início de 2021

Para 53% dos universitários qualidade caiu, aponta estudo

R7: Jovens já matriculados no ensino superior devem continuar a estudar, mas aqueles que vão prestar o Enem podem ficar fora do ensino privado

Atraso do Enem afeta 2,5 milhões de alunos

Estudantes usam notas das provas para conseguir descontos e bolsas do ProUni

Adiamento do Enem pode gerar 'apagão' de mão de obra qualificada, diz pesquisa

Uma pesquisa da Educa Insights, divulgada em parceria com a ABMES, aponta que o adiamento do calendário do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) pode levar a um "apagão" na mão de obra qualificada nos próximos anos

Adiamento do Enem afeta ingresso de alunos em faculdades particulares

Correio Braziliense: Mudança nas datas da prova compromete a entrada de novos alunos no primeiro semestre de 2021, segundo levantamento da ABMES divulgado nesta terça-feira (28)

Atraso no Enem compromete ingresso de 3,5 mi de alunos no ensino privado em 2021

Esse é o volume de estudantes que usam nota do exame, que só será divulgada no fim de março, para buscar bolsa do ProUni e desconto de mensalidade

Estudos analisam comportamento dos universitários na pandemia

Jovens já matriculados no ensino superior devem continuar a estudar, mas aqueles que vão prestar o Enem podem ficar fora do ensino privado

Mudança nas datas do Enem pode piorar apagão de mão-de-obra nos próximos anos

Pesquisa divulgada pela ABMES e Educa Insights revela que liberação do resultado em março de 2021 compromete ingresso de 76% dos alunos

Inscrições para vestibular em universidades privadas de SC cai 58%

Com redução de renda e dificuldades logísticas, evasão no Brasil inteiro foi 32% maior do que em 2019; 82% dos estudantes alegam dificuldades econômicas

Faculdades na Pandemia

Boa Vontade TV: Em entrevista, o diretor executivo da ABMES, Sólon Caldas, comenta sobre o retorno das atividades presenciais nas instituições de ensino