Detalhe

Melhora a percepção dos jovens que pretendem começar uma faculdade em 2021

25/11/2020 | Por: CBN | 907
Reprodução Estudo foi realizado pela Educa Insights e ABMES

Apesar da pandemia do coronavírus, 38% dos estudantes já consideram ingressar na faculdade no início de 2021. Em julho, durante o período de maiores restrições sociais, apenas 14% tinham essa intenção.

Os dados são da 5ª fase de estudo feito pela Educa Insights, em novembro, e divulgado pela ABMES, Associação de Mantenedoras de Ensino Superior. 


Conteúdo Relacionado

Vídeos

Aumenta procura por curso de graduação na área de saúde

Sólon Caldas, diretor executivo da ABMES, fala sobre o destaque que os profissionais de saúde tiveram durante o enfrentamento à pandemia e o crescimento na busca por esses cursos.

 

Coronavírus e educação superior: 5ª fase do estudo sobre o que pensam os alunos

Confira a íntegra do seminário "Coronavírus e educação superior: 5ª fase do estudo sobre o que pensam os alunos". O evento foi realizado na terça-feira (17/11), pelo YouTube da ABMES

 

Seminário Virtual ABMES | Coronavírus e educação superior: 4ª onda do estudo

Confira a íntegra do seminário virtual da ABMES "Coronavírus e educação superior: 4ª fase do estudo sobre o que pensam os alunos". Coordenação: Celso Niskier, diretor presidente da ABMES Participação: Daniel Infante, sócio-fundador Educa Insights Sólon Caldas, diretor executivo da ABMES

Notícias

"Ideia de ensino presencial clássico tende a desaparecer", diz pesquisador

Estudo da ABMES e Educa Insights mostra que pandemia exigiu adaptação de instituições de ensino superior para continuidade de atividades

Pesquisa aponta que 51% ainda não se inscreveu no vestibular da instituição que deseja estudar

Levantamento da Educa Insights e ABMES foi feito com 1.102 pessoas, de 17 a 50 anos, que desejam ingressar em cursos presenciais e a distância ao longo dos próximos 18 meses.

Pandemia provoca aumento do interesse de alunos por graduações na área de Saúde

Pesquisa da ABMES e Educa Insights indica preferência de 36% dos entrevistados por cursos de enfermagem e psicologia, por exemplo, e indica demanda reprimida de estudantes