Detalhe

Ministro da Educação se reúne com reitores para discutir a volta às aulas nas universidades

04/12/2020 | Por: Jornal Nacional | 1295
Reprodução

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, se reuniu nesta sexta-feira (4) com representantes de universidades públicas e privadas para tratar da volta às aulas em 2021.

O MEC publicou uma portaria na quarta-feira (2) determinando que as atividades de ensino superior deverão ocorrer a partir de janeiro de forma presencial, observando o protocolo de biossegurança para evitar o contágio pelo coronavírus. Houve forte reação das instituições de ensino superior. O ministério cogitou revogar a portaria. Nesta sexta, convocou a reunião por videoconferência.

O presidente da Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) disse que as faculdades privadas concordam com o retorno das aulas no começo do ano, mas querem permitir, por exemplo, rodízio de alunos em sala e que estudantes de grupos de risco, como cardíacos e hipertensos, possam continuar no sistema remoto.

“O setor de ensino superior particular defende a volta das aulas com segurança. Para isso, apresento hoje na reunião com o ministro diversas sugestões de aprimoramento da portaria para que ela permita maior flexibilidade e autonomia das instituições, para que elas possam programar a volta às aulas com segurança”, afirma Celso Niskier, presidente da ABMES.

Já as universidades federais argumentam que não há condições de retomada total das aulas no começo de 2021. Dizem que não podem colocar em risco a saúde de professores, alunos e servidores, e que para viabilizar o retorno das atividades presenciais é preciso ter mais tempo para que cada instituição se programe. A Rede Federal de Ensino Superior aponta como um dos problemas a dificuldade de viabilizar o distanciamento necessário entre os alunos.

“Nós temos uma sala que, padrão na nossa instituição são salas de aproximadamente 40 alunos. E, seguindo aí a biossegurança, seguindo os padrões de segurança, nós temos que dividir isso aí em pelo menos três partes”, explica Jadir José pela presidente do Conif, Conselho Nacional da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica.

As instituições querem também que o governo homologue um parecer do Conselho Nacional de Educação, que prevê, entre outras regras, a oferta de aulas remotas até o fim de 2021. Depois da reunião, o ministério publicou uma nota dizendo que “o encontro foi positivo e que está comprometido com o diálogo, que a maioria das universidades se mostrou favorável à necessidade do retorno às aulas presenciais o mais rápido possível, observando os protocolos de segurança”, e que “o ministro se comprometeu a se pronunciar na maior brevidade possível sobre a portaria, sobre outros pontos discutidos e também sobre a homologação parcial do parecer do Conselho Nacional de Educação”.

Mas, ao contrário do que diz a nota, algumas associações saíram da reunião questionando a portaria. Lembraram que as universidades têm autonomia para decidir sobre uma eventual retomada às aulas presenciais, mas entendem que o ideal é chegar a um consenso com o ministério.


Conteúdo Relacionado

Legislação

PORTARIA MEC Nº 1.030, DE 01 DE DEZEMBRO DE 2020

Dispõe sobre o retorno às aulas presenciais e sobre caráter excepcional de utilização de recursos educacionais digitais para integralização da carga horária das atividades pedagógicas enquanto durar a situação de pandemia do novo coronavírus - Covid-19.


Notícias

MEC autoriza aulas não presenciais até dezembro de 2021

Ministro homologou parecer do Conselho Nacional de Educação

Escolas recebem aval para manter o ensino remoto no ano que vem

Parecer homologado pelo MEC permite atividades a distância em instituições de todas as redes até o fim de 2021. Aula presencial depende das cidades

MEC autoriza ensino remoto enquanto durar pandemia

Depois de recusa inicial, ministro Milton Ribeiro voltou atrás e acabou homologando resolução do conselho que permite que as escolas deem aulas online também em 2021

"Universidades precisam voltar de forma gradual e segura", diz presidente da ABMES

MEC autoriza a volta das atividades presenciais nas faculdades públicas e privadas em todo o país em março de 2021. Presidente da ABMES diz que as universidades precisam voltar de forma "gradual e segura".

Após nova portaria do MEC, Ufes diz que retorno das atividades presenciais será "gradual e seguro"

MEC estabeleceu que as instituições de ensino superior deverão retomar as aulas presenciais a partir de 1º de março de 2021, desde que sigam os protocolos de prevenção da Covid-19.

MEC confirma volta às aulas em março e afirma que federais concordam com a medida

MEC afirma que maioria das universidades quer volta às aulas

Ministro debate com entidades retorno das aulas presenciais

Entidades do ensino superior querem a revogação de portaria do MEC

MEC tenta resolver impasse sobre volta às aulas presenciais nas federais

Em reunião com o ministro da Educação, Milton Rodrigues, representantes de setores da academia lembram que a pandemia do novo coronavírus está longe de ser debelada e solicitam que o ensino a distância continue como opção no próximo ano

Entidades educacionais pedem ao MEC flexibilização de portaria

Representantes de instituições de ensino públicas e particulares do país solicitam retorno presencial apenas com segurança sanitária e financeira

MEC se reúne com reitores para discutir retorno das aulas presenciais

Milton Ribeiro recebeu representantes | Pediram homologação de parecer do CNE | Texto estabelece ensino remoto até 2021

"Temos de pensar no retorno das aulas presenciais", diz ministro Milton Ribeiro

Em inauguração de CMEI, em Goiânia, titular do MEC reforçou necessidade de andar com ensino apenas remoto

MEC se reúne com reitores para discutir portaria que determina volta às aulas nas universidades

Portaria revoga autorização que equivale aulas remotas às presencias, mas condiciona o retorno aos protocolos de biossegurança; medida foi criticada. Em nota, MEC diz que vai se pronunciar 'em breve' sobre a portaria, que ainda não foi revogada.