Detalhe

Tendências e desafios da educação superior são temas do seminário de encerramento

06/12/2023 | Por: ABMES | 687

A Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) promoveu, nesta terça-feira (05), o último seminário do ano: “Talk-show: Tendência e Desafios da Educação Superior – propostas para 2024”. Coordenado pelo diretor presidente da Associação, Celso Niskier, o encontro contou com a participação do presidente do Conselho de Administração da ABMES, Janguiê Diniz, a vice-presidente, Débora Guerra, a membro do Conselho de Administração e diretora da Edux21, Iara de Xavier, e o membro da diretoria e reitor da Unichristus, José Rocha.

As tendências e desafios da educação superior no Brasil para 2024 apontam para uma transformação significativa. Por isso o debate é tão importante e tem por objetivo promover um diálogo e impulsionar propostas para o fortalecimento da educação superior no próximo ano.

No decorrer de 2023, as experiências educacionais inovadoras foram marcadas pela inserção de métodos pedagógicos mais interativos, como o uso crescente de plataformas digitais e recursos tecnológicos, que enriqueceram o aprendizado, oferecendo aos alunos uma formação mais adequada às demandas contemporâneas. Os marcos regulatórios buscaram criar um arcabouço adaptável e eficiente como, por exemplo, a incorporação da flexibilidade curricular que proporcionou o alinhamento da educação com as necessidades da sociedade e do mercado de trabalho.

No entanto, as desigualdades socioeconômicas ainda estão presentes e a superação dessas disparidades exigem uma abordagem holística, envolvendo governos, instituições educacionais e a sociedade. A preparação dos docentes para a integração efetiva das tecnologias é outro desafio relevante que evidencia a necessidade de uma capacitação contínua para garantir que os professores estejam aptos ao ambiente de aprendizado em constante evolução.

A professora Iara de Xavier fez um panorama histórico sobre as mudanças recentes na educação e no cenário da educação particular. Ela focou sua fala em sua avaliação sobre os processos regulatórios. “O sistema como é hoje cria barreira para criatividade e para inovação, dois aspectos essenciais para evolução da educação”, avaliou. Iara também compartilhou sua análise para o ano de 2024. “Será um ótimo ano, com a revisão do Sinaes, o novo Plano Nacional de Educação e o novo plano para as pós-graduações”, listou.

Sobre os cursos de Medicina, José Rocha também começou criticando a formação tradicional. “Estamos formando alunos para o passado e não para o futuro. Precisamos mirar em 2040, criando cenários e, com passar do tempo, validando ou descartando cada um”, afirmou. O reitor da Unichristus indicou caminhos que considera pertinentes sobre a expansão das vagas da formação de médicos e apresentou sugestões de melhorias para oferta de qualidade, criando diferenciações.

Janguiê aproveitou seu momento para completar as informações sobre os alunos de Medicina. “Existem 80 mil estudantes de Medicina brasileiros estudando no exterior, só eles seriam suficientes para justificar na necessidade da abertura de novas vagas”, completou. Ele também concordou com um dos apontamentos da professora Iara, a necessidade de personalização do ensino e do uso das tecnologias, principalmente a Inteligência Artificial. Para o presidente do Conselho de Administração, uma característica importante para lidar com os desafios da educação: empreendedorismo. “Empreendedorismo é transformar pensamentos em ação e sonhos em realidade”. E continuou “precisamos ensinar os nossos alunos a empreender na vida antes de empreender empresarialmente”. E para Janguiê é com o desenvolvimento das habilidades socioemocionais nos currículos que o empreendedorismo irá surgir naturalmente, assim como a inovação.

Fechando o talk-show, a vice-presidente da ABMES, Débora Guerra, centrou sua fala na importância do posicionamento de lideranças dos mantenedores e gestores educacionais. “Ainda estamos reativos diante de cada situação que nos é imposta. Se nós (educação particular) somos protagonistas da educação brasileira, a gente tem que estar disposto a discutir as políticas públicas e a educação para o século 21”, declarou.

Premiação e lançamento

Na ocasião, foi lançada a publicação ABMES Cadernos 34, com artigos dos vencedores do Prêmio Top Educacional Professor Mário Palmério - 25ª edição. A cerimônia homenageou os membros da comissão julgadora Gustavo Hoffmann, Júlio César Ferreira e Valdemar Ottani, e entregou as placas, certificados e cheque para Naira Libermann, da PUCRS, Ana Vera Palmério, Renner de Brito e Cristiano Arruda, da Universidade Uberaba, Franciele Sena e Eugenio Araújo, da COTEMIG e ainda, virtualmente, Robson Bonídia, da Faculdade Tecnológica Ourinhos, Kone Cesario, da Faculdade Nacional de Direito.

Também a oportunidade de prestigiar o lançamento de duas publicações Prestação de Serviços Educacionais - contratos, legislação e procedimentos, de autoria de José Roberto Covac, Daniel Cavalcante e João Paulo Echeverria, e Manual de Compliance, de José Roberto Covac e Daniel Cavalcante. Os livros oferecem insights valiosos sobre o direito educacional, marcos regulatórios e contratos educacionais, temas importantes para mantenedores e gestores da área.