Detalhe

Setor de ensino superior lista propostas para resgatar Fies em governo Bolsonaro

29/11/2018 | Por: Extra | 829
Foto: O Imparcial

“Estamos com proposta analisada e estudada para futuro governo e, apesar de céticos ainda, estamos otimistas”, afirmou a jornalistas o presidente da Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), Janguiê Diniz, acrescentando que a equipe de transição de Jair Bolsonaro sinalizou agenda para primeira quinzena de dezembro.

Entre as sugestões, a entidade destaca que o governo federal deveria voltar a financiar 100 por cento do valor do curso, e não 50 por cento como ocorre atualmente. Em contrapartida, as instituições de ensino concederiam descontos de 20 a 30 por cento em cima da mensalidade, enquanto o aluno já iniciaria a amortização logo no início do contrato, contribuindo com uma pequena taxa todo mês.

“Isso retroalimentaria o sistema, reduzindo o juro e o prazo do contrato... O principal gargalo do Fies é o não financiamento de 100 por cento do curso, com o aluno tendo que arcar com a diferença”, afirmou o diretor-executivo da ABMES, Solón Caldas.

A associação defende ainda a flexibilização de outras regras, entre elas a destinação de 60 por cento das vagas a cursos prioritários em saúde, engenharia e formação de professores, além do financiamento da modalidade à distância (EAD).

Atualmente, o Fies contempla apenas graduações presenciais, cujas mensalidades são mais elevadas. Na avaliação de Caldas, a inclusão de cursos EAD mais baratos ampliaria o alcance do programa, atendendo alunos de baixa renda cujo perfil de crédito não se enquadraria nas normas.

"Se (o governo) é favorável ao EAD no ensino básico, por que não o incluir no Fies?", completou o presidente da ABMES.

Em 21 de novembro, o Conselho Nacional de Educação publicou resolução atualizando as diretrizes curriculares nacionais para o ensino médio e determinando que as atividades realizadas à distância podem contemplar até 20 por cento da carga horária total.

TRAJETÓRIA DO FIES

Em 2018, foram ofertadas 310 mil vagas do Fies, das quais 100 mil a juro zero, mas apenas pouco mais de 81 mil foram preenchidas, informou a ABMES, citando dados fornecidos pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE).

“Foi o maior fracasso do Fies desde 2010”, comentou Diniz. Naquele ano, em que o FNDE passou a ser o agente operador do programa de financiamento estudantil, cerca de 76.155 contratos foram assinados.

A quantidade de alunos contemplados com Fies cresceu gradativamente até 2014, quando atingiu o auge de mais de 700 mil. Desde então, contudo, o desarranjo das contas públicas reduziu o número de vagas ofertadas, enquanto mudanças nas regras dificultaram seu preenchimento.

A mais recente reformulação do programa ocorreu no fim de 2017, quando o presidente Michel Temer sancionou uma lei para tornar o Fies "financeiramente sustentável" a partir de 2018.

O chamado Novo Fies inclui ajustes para o governo federal dividir com as instituições de ensino superior o risco de inadimplência, fixando três modalidades com cobranças de juros distintas.

Para Caldas, essas mudanças desvirtuaram o propósito social do Fies, tornando-o "uma linha de crédito como outra qualquer". Como resultado, nem mesmo as 100 mil vagas custeadas pelo Tesouro Nacional e com juro zero foram completamente preenchidas em 2018.

Na categoria denominada P-Fies, na qual foram ofertadas 210 mil vagas com recursos provenientes de fundos constitucionais, de desenvolvimento e bancos privados, o resultado foi ainda pior.

Só no segundo semestre, apenas 256 dos 120 mil contratos analisados pelas instituições financeiras foram assinados, afirmou o diretor-executivo da ABMES, atribuindo os números ao FNDE. Esse número se soma aos 800 contratos P-Fies firmados na primeira metade do ano.

Na semana passada, o Comitê Gestor do Fies aprovou um plano trienal para o programa, fixando quantidade indicativa de 100 mil vagas a juro zero para 2019, 2020 e 2021.


Conteúdo Relacionado

Notícias

Prazo para aditamento do Novo Fies é prorrogado

Os estudantes terão até 31 de janeiro para fazer o processo no site SIFES

Mudanças no financiamento estudantil levam a diminuição no preenchimento de vagas

DF TV: em entrevista o assessor jurídico da ABMES, Bruno Coimbra, comenta sobre a baixa adesão do Fies em 2018

Políticas públicas - A porta de entrada para o Ensino Superior

Pesquisas realizadas pela ABMES revelam a importância de ações governamentais para que estudantes tenham acesso à formação superior

Setor de ensino superior lista propostas para resgatar Fies em governo Bolsonaro

Entidade sugere que governo federal volte a financiar 100% do curso; instituições dariam descontos de até 30% e amortização começaria no início do contrato

Acesso ao Fies ficou mais difícil, dizem faculdades privadas

Bol: Em coletiva, o diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, relata que os bancos tratam o financiamento estudantil como uma linha de crédito qualquer

O futuro da enfermagem

Exigência de qualificação será cada vez maior

Fies amarga fiasco este ano e um mistério de R$ 8 bilhões

Estado de Minas: ABMES questiona por que o governo mantém em caixa recursos do fundo que deveria cobrir rombos da inadimplência, estimada em R$ 10 billhões

Desempenho pífio do Fies frusta estudantes da graduação

Estado de Minas: ABMES apresenta propostas para reestruturar o programa

Fies tem o menor número de contratações desde 2010

Valor Econômico: Em coletiva , o diretor executivo da ABMES, Sólon Caldas, afirma que as regras do Fies são muito difíceis de cumprir, sem contar com os juros e cobrança de multa

Prazo para aditamento do Fies é prorrogado

Até o momento, cerca de 70% dos estudantes já concluíram ou iniciaram o processo de aditamento

Governo atinge só 1/4 de contratos prometidos com Fies

Porvir: Levantamento feito pela ABMES mostra que corte de recursos e reestruturações fez com que apenas parte dos contratos do Fies prometidos pelo governo federal foram firmados

Fies pode ter taxa durante curso, volta do financiamento integral e descontos

DCI: ABMES formula sugestões para 'resgatar' programa após 'fracasso' em 2018, para ABMES, futuros presidente e ministro da Economia devem ser sensíveis ao tema

Fies termina ano com o menor número de novos contratos desde 2010

Brasil Escola: ABMES critica a nova modalidade, o P-Fies, que teve menos de 2% das vagas preenchidas

Setor de ensino superior lista propostas para resgatar Fies em governo Bolsonaro

UOL: O diretor executivo da ABMES, Sólon Caldas, afirma que no segundo semestre, apenas 256 dos 120 mil contratos analisados pelas instituições financeiras foram assinados

Acesso ao Fies ficou mais difícil, dizem faculdades privadas

Money Times: O diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, informou que se encontrará na primeira quinzena de dezembro com o presidente eleito Jair Bolsonaro para debater novas propostas para o Fies

Acesso ao Fies ficou mais difícil, dizem faculdades privadas

UOL: Segundo o diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, o acesso às faculdades particulares por meio do Fies está mais difícil

Acesso ao Fies ficou mais difícil, dizem faculdades privadas

O Hoje: Em coletiva, o diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, deu a sua opinião sobre o fracasso do Fies

Setor de ensino superior lista propostas para resgatar Fies em governo Bolsonaro

Reuters: O diretor executivo da ABMES, Sólon Caldas,afirmou que o segundo semestre, apenas 256 dos 120 mil contratos analisados pelas instituições financeiras foram assinados

Acesso ao Fies ficou mais difícil, dizem faculdades privadas

Exame: Para o diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, o desempenho do Fies em 2018 foi um fracasso

Faculdades dizem que governo não usou fundo para cobrir rombo do Fies

G1: O diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, revela que as propostas para as novas regras do Fies serão apresentadas ao presidente eleito Jair Bolsonaro

Acesso ao Fies ficou mais difícil, dizem faculdades privadas

Agência Brasil: Em coletiva, Janguiê Diniz, diretor presidente da ABMES, informa que irá debater novas propostas para o Fies com o presidente eleito

Setor de ensino superior lista propostas para resgatar Fies em governo Bolsonaro

Reuters: Janguiê Diniz, diretor presidente da ABMES, destaca que o governo federal deveria voltar a financiar 100 por cento do valor do curso, e não 50 por cento como ocorre atualmente

ABMES: Fies em 2018 só preencheu 80,3 mil das 310 mil vagas

Agência Estado: Em coletiva , Janguiê Diniz, o diretor presidente da ABMES, relata o principal motivo para o insucesso do P-Fies

Associação de faculdades privadas classificam 'novo Fies' como um fracasso

O Globo: O direto presidente da ABMES, Janguiê Diniz, anuncia que fará uma proposta ao futuro governo para que o Fies tenha 100% do valor financiado

Governo atinge só 1/4 de contratos prometidos com Fies

Estadão: Em coletiva , o diretor presidente da ABMES, Janguiê Diniz, comenta sobre a proposta da entidade para melhorar o Fies

ABMES denuncia pior Fies da história e apresenta proposta de resgate

Retomada do caráter social do programa passa por maior comprometimento dos três atores envolvidos: governo, estudantes e instituições de educação superior