Detalhe

Ensino híbrido agrada a estudantes de universidades privadas

10/08/2021 | Por: Agência Brasil | 481
Foto: Reprodução/ Agência Brasil

Pesquisa encomendada pela Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), entidade que representa instituições privadas do setor de educação superior, aponta que a maioria de seus alunos prefere o retorno parcial das aulas presenciais.

Feito em parceria com a Educa Insights, o levantamento Observatório da Educação Superior: análise dos desafios para 2021 – 4ª edição constatou que 55% dos alunos de instituições privadas de ensino superior preferem o retorno das aulas presenciais, mas apenas em alguns dias da semana, principalmente nas disciplinas práticas que requerem laboratórios.

Nas demais disciplinas, eles preferem que se mantenha o ensino remoto, em que as aulas são ministradas no formato online. Na avaliação da ABMES, “muitos alunos que gostaram do ensino híbrido gostariam que ele fosse mantido”, mesmo após o fim da pandemia.

A pesquisa entrevistou, via internet, entre os dias 28 de julho e 4 de agosto, 668 estudantes matriculados em cursos presenciais de instituições de ensino superior privado, mas que tiveram de ir para o modelo híbrido em decorrência da pandemia. Dos entrevistados, 52% disseram que as atividades em sala devem priorizar as aulas práticas, e para 38%, as disciplinas deveriam estar no formato de ensino híbrido, no qual se alternam aulas presenciais e à distância (online).

Considerando os estudantes que já se vacinaram pelo menos com a primeira dose do imunizante contra a covid-19, 43% manifestaram que “todas as aulas podem ser escalonadas”, enquanto 47% disseram que “apenas as práticas devem fazer parte do cronograma”.

Já entre os que não foram imunizados, 34% se disseram a favor de todas as aulas serem escalonadas, com alternância de aulas presenciais e à distância; e 56% se disseram a favor de apenas aulas práticas fazerem parte do cronograma.

Benefícios
De acordo com a ABMES, as instituições de ensino superior têm oferecido soluções para que os alunos continuem o curso de graduação, mesmo em meio à crise econômica decorrente da pandemia.

O levantamento aponta que 76% dos estudantes “receberam algum benefício para rematrícula”, como desconto por antecipação da semestralidade (49%); financiamento ou parcelamento (18%); seguro educacional (6%); e curso livre ou de curta duração (3%).


Conteúdo Relacionado

Vídeos

ABMES39 | Retorno às aulas presenciais: o que querem os alunos

Confira a íntegra do Seminário virtual ABMES "Retorno às aulas presenciais: o que querem os alunos", realizado em 10 de agosto de 2021. Na ocasião, também foi realizada a solenidade de premiação da 24ª edição do Prêmio Top Educacional Professor Mário Palmério. 

Notícias

Ensino Superior: estudantes optam por retorno gradual e híbrido, afirma pesquisa da ABMES

Estado de Minas: Maioria dos estudantes pretende fazer a renovação da matrícula em 2021.2, mostra a pesquisa realizada pela ABMES

Jovens querem manter o sonho do ensino superior e preferem retorno gradual e híbrido das atividades presenciais

Pesquisa da ABMES/Educa Insights aponta que a volta deve priorizar as aulas práticas e que impacto na renda é uma preocupação maior que o risco de contaminação

Não sairemos da pandemia da mesma forma que entramos, diz diretor da ABMES

Correio Braziliense: Pesquisa realizada pela ABMES revela que 55% dos universitários pretendem retornar aos estudos presenciais de forma parcial

No 2º semestre, alunos querem parte das aulas presenciais e parte à distância, diz pesquisa de universidades privadas

Jornal Extra: Os dados são do “Observatório da Educação Superior: análise dos desafios para 2021 – 4ª edição”, uma série de levantamentos realizados pela Educa Insights e a ABMES desde o começo da pandemia, mostra que a maioria dos estudantes deseja manter os benefícios das aulas remotas

No 2º semestre, alunos querem parte das aulas presenciais e parte à distância, diz pesquisa de universidades privadas

O Globo: Levantando da ABMES e da Educa Insights aponta que só 1% dos alunos não vai renovar a matrícula