Detalhe

IPC recebe comitiva de instituições de ensino superior brasileiras

04/11/2022 | Por: IPC | 248

O Politécnico de Coimbra recebeu uma delegação da ABMES (Associação Brasileira das Instituições de Ensino Superior Privadas) no passado dia 31 de outubro, com o objetivo de estreitar relações e possibilitar a colaboração entre as diferentes instituições. A ABMES é a maior associação de instituições de ensino superior (IES) privadas do Brasil e trouxe a Coimbra uma delegação de 40 dirigentes de instituições de ensino superior (IES).

Na sessão, que decorreu na Coimbra Business School ISCAC, o IPC apresentou a instituição aos visitantes e assinou um protocolo de colaboração com a ABMES com vista a promover e desenvolver relações didáticas, científicas e culturais e promover vínculos e intercâmbios académicos entre as instituições representadas. Trata-se de um ponto de partida para futuros protocolos entre as instituições de ensino que integram a Associação e o Politécnico de Coimbra.

Para Jorge Conde, presidente do IPC, este acordo “visa a possibilidade de virmos a trabalhar em conjunto com cada uma destas instituições”. “Nós temos cada vez mais preocupações comuns globais na área do ensino superior, principalmente, na área da investigação”, disse. Por isso, um dos objetivos é colaborar para “não perder tempo em investigar assuntos muitas vezes repetidos”.

Por outro lado, Portugal tem recebido cada vez mais estudantes brasileiros interessados em realizar o percurso académico no nosso país e, por isso, Jorge Conde defendeu que “o sistema de ensino tem que se articular para garantir que as pessoas quando fazem a transição de um lado para o outro não se vejam barradas por uma habilitação que não é reconhecida do outro lado». Acrescentando que o IPC procura «antecipar esse tipo de dificuldades”, tendo como foco encontrar na ABMES “parceiros nesta mobilidade entre os dois países”, realçou.

Celso Niskier, presidente da ABMES que abrange quase 10 milhões de estudantes, assegurou que existe “muita vontade” dos estudantes brasileiros em estudar em Portugal, onde “não existe a barreira da língua e é porta para a Europa”, ressalvando que o “interesse é mútuo e bilateral”.

A comitiva seguiu para uma reunião com o CCISP – Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos, onde foi assinado um acordo de cooperação entre as duas organizações.