Detalhe

Prêmio de educação em direitos humanos tem inscrições abertas

06/06/2017 | Por: Ministério da Educação | 1318
Freepik

Instituições públicas e privadas autoras de projetos que promovam a cultura da paz, do bem estar-social e do respeito à diversidade têm até o dia 26 de junho para se inscrever no Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos. De abrangência nacional, a premiação é coordenada pelo Ministério da Educação, em parceria com a Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI).

A premiação este ano será uma etapa anterior ao Prêmio Ibero-americano de Educação em Direitos Humanos Óscar Arnulfo Romero, que, em sua quinta edição, vai ofertar US$ 5 mil ao vencedor. “Como o prêmio teve muito sucesso, revelando várias iniciativas e experiências relacionadas à mediação de conflito, valorização e empoderamento das mulheres e outras iniciativas tão interessantes trazidas por edições passadas, se tornou um paradigma e passa a ser etapa anterior ao Ibero-americano”, explicou a coordenadora-geral de Direitos Humanos da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (Secadi), Patrícia Mollo.

A coordenadora ressaltou, ainda, a preocupação do MEC em promover o debate. “O Prêmio de Educação em Direitos Humanos valoriza um conceito que é muito caro ao MEC, porque responde a uma situação vivenciada no mundo todo, que é o bullying e violência, a falta de valorização e de respeito à diversidade”, acrescentou.

Serão premiados trabalhos que ajudem na incorporação da educação em direitos humanos nos projetos político-pedagógicos das escolas, bem como ações pedagógicas na área, protagonizadas pela comunidade escolar e universitária; experiências realizadas por profissionais ou voluntários da sociedade civil e estratégias variadas para a inclusão da temática nos currículos da educação básica, e em documentos normativos (como planos estaduais e municipais de educação, orientações e resoluções); e a menção das Diretrizes Nacionais de Educação em Direitos Humanos.

Categorias – O Prêmio Nacional de Educação em Direitos Humanos está dividido em três categorias: A (educação formal), B (organizações da sociedade civil e de educação não formal) e C (secretarias de educação e secretarias de direitos humanos ou homólogas). Podem concorrer instituições de educação básica e superior, secretarias de educação e de direitos humanos estaduais, municipais e do Distrito Federal, organizações não-governamentais, movimentos e organizações sociais, sindicatos, instituições religiosas, agremiações, grêmios, associações e demais entidades civis, desde que vinculados aos setores de educação e cultura, além de empresas públicas e privadas. No ato da inscrição, o candidato deve ficar atento para que a categoria escolhida esteja de acordo com a descrição e exigências presentes no edital.

Os vencedores de todas as categorias receberão diploma e troféu, além de uma viagem para participar do Seminário Internacional de Educação em Direitos Humanos, nos dias 23 e 24 de novembro de 2017, em Bogotá, na Colômbia. Já as indicações para o Prêmio Ibero-americano de Educação em Direitos Humanos Óscar Arnulfo Romero serão restritas ao vencedores das categorias A e B.

Também poderá ser outorgada menção honrosa dentro da categoria A, para trabalhos que abranjam estratégias variadas para a inclusão da educação em direitos humanos nos currículos. As experiências ganhadoras serão conhecidas durante o seminário em Bogotá.

Os interessados em participar devem acessar a página eletrônica da iniciativa.


Conteúdo Relacionado

Notícias

IES particulares possuem atuação de destaque no Pacto de Educação em Direitos Humanos

Entre as iniciativas desenvolvidas por essas instituições está o primeiro seminário do projeto no Centro-Oeste. Evento acontecerá em 8 de maio, em Brasília/DF

Pacto de Educação em Direitos Humanos será lançado no DF

Já são 270 instituições de ensino superior e entidades apoiadoras que aderiram à iniciativa

Prorrogadas inscrições para prêmio de educação em direitos humanos

Podem participar instituições públicas e privadas de educação básica e superior, além de secretarias de educação estaduais, do Distrito Federal e municipais

MEC elogia plano de ação da ABMES para o Pacto de Educação em Direitos Humanos

Associação se reuniu com a coordenação do projeto para discutir o plano de ações apresentado pela instituição

Pacto de Educação em Direitos Humanos estimula o acolhimento de denúncias no âmbito das IES

Instituições podem criar canais institucionais de recebimento e encaminhamento das denúncias. Ação integra o eixo gestão do Pacto

ABMES apoia o Pacto Universitário de Educação em Direitos Humanos

O engajamento das IES é de extrema relevância para a alteração do atual cenário de violações de direitos verificado no Brasil. Por isso, a ABMES é uma das apoiadoras da iniciativa

Ações do Pacto Universitário podem ser utilizadas na Campanha de Responsabilidade Social

Termo de adesão ao programa firma compromisso de desenvolver atividades entre os eixos de ensino, pesquisa, extensão, gestão e convivência

IES assinam termo de adesão ao Pacto Universitário de Educação

Pacto Universitário pela Promoção do Respeito à Diversidade, da Cultura da Paz e Direitos Humanos foi lançado no ano passado

ABMES assina termo de adesão ao Pacto de Direitos Humanos no ambiente universitário

O diretor executivo da Associação, Sólon Caldas, representou a associação na solenidade de lançamento, realizada quinta-feira, 24, na Capes

Governo busca apoio da ABMES para mobilizar instituições de ensino superior para pacto de direitos humanos

Representantes dos ministérios da Educação e da Justiça estiveram na sede da Associação, na terça-feira, 4. A iniciativa visa a superação da violência, preconceito e discriminação no ambiente universitário