Detalhe

Por que Israel é um polo tecnológico preocupado com cibersegurança

22/06/2018 | Por: Embaixada de Israel | 335
Reprodução

Por: Alessandro Feitosa Jr.


A Cyberweek, evento dedicado à cibersegurança sediado em Tel-Aviv, está em sua oitava edição discutindo os impactos e o futuro da segurança digital no mundo. Na plenária principal, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, iniciou seu posicionamento e alguns momentos depois as luzes piscaram.

“Senhoras e senhoras, esta conferência foi hackeada […] a propriedade intelectual de suas empresas está em nossas mãos, assim como suas conversas privadas”, disse uma voz robótica. Era só uma brincadeira, é claro. A partir desse gancho, Netanyahu destacou a importância que governos, negócios e cidadãos devem dar à cibersegurança: “Estados podem fazer tudo o que você viu neste vídeo e muito mais. Eles podem paralisar e controlar infraestruturas críticas de um país”.

E não é brincadeira. Nos últimos anos pudemos acompanhar uma série de pesadelos cibernéticos: há suspeita de que grupos de hackers tenham grande influência em ações contra a infraestrutura da Ucrânia, por exemplo. No final de 2015, uma grande faixa da Ucrânia sofreu com falta de energia e pesquisam indicam que o apagão pode ter sido causado por um malware destrutivo.

O ransomware WannaCry afetou dezenas de países, incluindo o Brasil, e causou sérios danos ao sistema público de saúde do Reino Unido. Pouco tempo depois, foi a vez do ransomware NotPetya sequestrar computadores da infraestrutura crítica da Ucrânia e Rússia. O sistema público de transporte de San Francisco também sofreu ataques do tipo e, mais recentemente, a cidade de Atlanta se tornou refém de hackers. Isso sem contar a suspeita de influência russa nas últimas eleições dos EUA e as possibilidades de invasão de dispositivos médicos.

Israel tem muito o que compartilhar com outras nações a respeito de cibersegurança. O país recebe grande parte da demanda de acordos relacionados a esse campo, atrás apenas dos EUA, segundo dados de um relatório da CB Insights, publicado em abril de 2018. Existem 420 empresas israelenses e 50 centros de pesquisa e desenvolvimento dedicados à segurança digital. Segundo o governo, o país recebeu US$ 815 milhões em investimentos na indústria de cibersegurança em 2017 – representando cerca de 16% de todos os investimentos privados na área.

Quase todas grandes empresas de tecnologia já adquiriram empresas do ramo de Israel: a Microsoft comprou pelo menos quatro; o Google também já adquiriu startups do ramo de segurança (além do Waze que é original de lá), enquanto a IBM logo implementou um centro de pesquisa na área de segurança no país. Sem contar o governo norte-americano que, quando precisa desbloquear iPhones, procura a Cellebrite, já que a Apple não fez um backdoor para facilitar esse tipo de ação.

Entendendo o ecossistema

Antes de explicar a razão de Israel ter um forte ecossistema de segurança cibernética, é necessário entender as condições locais. Para começar, Israel tem um clima muito seco, apesar de terem uma costa banhada pelo mediterrâneo. Isso fez com que o país criasse uma cultura empreendedora que fez, por exemplo, com que o país pensasse em formas de dessalinizar a água ou mesmo aproveitar água de chuva nos poucos dias em que ocorre.

O governo, inclusive, reserva parte do PIB para investimento em empresas e pesquisa e desenvolvimento, o que torna o país o que tem o maior número de criação de startups do mundo: foram criadas 600 apenas em 2017, segundo a Israel Innovation Authority.

Fora isso, existe uma questão regional histórica. Israel é um país pequeno e já esteve em conflito com boa parte de seus vizinhos. Então, a questão da segurança começa na escola, ensinando conceitos básicos sobre cibersegurança no final do ensino fundamental. E ao ingressar na universidade, muitos dos cidadãos passam por pelo menos dois anos de serviço militar e é lá que os fundamentos de programação e segurança online são desenvolvidos.

Talvez seja uma boa ideia o Brasil começar a se preocupar um pouco mais com o assunto, afinal, até pouco tempo atrás o pessoal de mídias sociais do Planalto guardava suas senhas em um arquivo do Google Docs.

Parte de todo esse ecossistema está estritamente ligado com a colaboração. Yigal Unna, diretor executivo do Diretório Nacional de Cibersegurança, falou durante uma coletiva de imprensa sobre o desenvolvimento de uma proteção cibernética que inclui desenvolvimento de tecnologias e parcerias com outros estados. Uma dessas iniciativas se chama CyberNet, uma espécie de rede social, em que especialistas em segurança da iniciativa privada e pública de diversos países podem compartilhar informações. Recentemente, o país promoveu um seminário com 35 representantes de universidades latino americanas, incluindo universidades brasileiras.

A partir desse cenário quase que apocalíptico do ponto de vista da cibersegurança, o investimento na área tem se mostrado eficiente e rentável: a indústria de segurança digital exportou US$ 3,8 bilhões em 2017 e Israel possui uma defesa sólida contra ciberataques.

*O jornalista viajou para Tel-Aviv a convite da Embaixada de Israel no Brasil


Conteúdo Relacionado

Notícias

Israel celebra o Ano Novo Judaico

O principal objetivo é que todos realizem um autoexame, reavaliando a sua vida, arrependendo-se por seus pecados e adorando a criador

Jovens brasileiros fazem ciência de qualidade no Instituto Weizmann de Ciências com bolsa integral

É um dos programas mais importantes que existe para alunos que saem do Ensino Médio

#Vamosconhecer: Weizmann Institute of Science

O local, uma das principais instituições de pesquisa multidisciplinar do mundo, será visitado pelos integrantes da 2ª Delegação ABMES Internacional - Israel Experience

Ecossistemas de inovação levam Capes a Israel

Esta iniciativa tem o intuito de levar ao empresariado brasileiro conhecimento em relação a temas específicos e determinantes para a competitividade da indústria

Alunas brasileiras realizam bate-papo sobre como é estudar em Israel

Interessados podem participar presencialmente, mediante inscrição prévia, ou acompanhar ao vivo pelo Facebook da instituição

#Vamosconhecer: Open University of Israel (OUI)

A instituição será a primeira a receber os participantes da 2ª Delegação ABMES Internacional. Apesar de ser uma instituição de educação a distância, a OUI possui 60 centros de estudos localizados em todo o território de Israel

#VamosConhecer: Tel Aviv University (TAU)

A Tel Aviv University será uma das IES que receberão os participantes da 2ª Delegação ABMES Internacional - Israel Experience, que acontecerá de 11 a 21 de outubro de 2018

Israel adota lei que o define como "Estado-nação do povo judeu"

Adotado por 62 votos contra 55, o texto estipula, entre outras coisas, que o hebraico se torna a única língua oficial de Israel

Sem recursos naturais, Israel aposta em inovação

Governo israelense praticamente doará neste ano cerca de meio bilhão de dólares para financiar startups, pesquisa e melhorias tecnológicas em empresas locais

ABMES realiza visita técnica em Israel

Representando o programa ABMES Internacional, o vice-presidente da Associação e a consulta de parceria internacional estão no país para conhecer e preparar os locais que serão visitados pela 2ª Delegação ABMES Internacional

No Brasil não falta inteligência, imaginação, criatividade. Talvez falte só a atitude

Artigo escrito por Hayim Makabee contando suas experiências e vivências profissionais ao imigrar para Israel em 1992

Em 70 anos, Israel se ergueu sobre tradições culturais e guerras com vizinhos

Contrastes marcam cosmopolita Tel Aviv e histórica Jerusalém

Ministro da Educação participa de lançamento do projeto 100 Anos de Educação Judaica no Brasil

Na ocasião, ele comentou sobre uma das visitas que fez a Israel, quando pôde conhecer experiências de ensino bem-sucedidas

Como é estudar em Israel? Vale a pena?

Em artigo, a brasileira Yasmin Franceschi, que estuda na universidade de Tel Aviv, em Israel, descreve a experiência de cursar uma faculdade em um país do Oriente Médio

CCT: audiência aponta que tecnologia de Israel no uso da água pode ser exemplo para o Brasil

O ministro da Ciência e Tecnologia de Israel, Ofir Akunis, que está em visita oficial ao Brasil, classificou o encontro na CCT como "histórico"

Chanceler brasileiro promete a Netanyahu aprofundar relação com Israel

No encontro com Netanyahu, em Jerusalém, Aloysio Nunes Ferreira convidou o premiê israelense para visitar o Brasil

Israel realiza Cyber Week 2018

O evento oferecerá acesso exclusivo a especialistas em segurança cibernética e criará um fórum para intercâmbio de conhecimentos e redes

Embaixada de Israel promove exposição Além do Dever em Brasília/DF

Segundo a organização, "a iniciativa é dedicada aos justos entre as nações e aos sobreviventes do Holocausto, cuja coragem e resiliência nos inspiram"

Viagem a Israel muda a visão de parlamentares brasileiros

Relato feito pela Confederação Israelita do Brasil (Conib) sobre a viagem de cinco parlamentares brasileiros para Israel

2ª Delegação ABMES Internacional acontecerá em outubro de 2018

Associação levará os participantes para conhecerem as universidades de referência de Israel, um dos países mais inovadores do mundo