Detalhe

94% dos alunos de faculdades particulares querem continuar estudando

02/04/2020 | Por: Correio Braziliense | 457

De acordo com levantamento da empresa de pesquisas educacionais Educa Insights, em parceria com a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES), 94% dos alunos que cursam graduação presencial em instituições de ensino superior particulares pretendem continuar estudando, mesmo com os impactos da crise do novo coronavírus. Entre os estudantes que cursam ensino a distância (EAD), esse índice é de 96%. Os dados foram apresentados em uma coletiva de imprensa on-line nesta quinta-feira (2).

O levantamento mostra que 57% dos alunos têm a intenção de seguir com os estudos, independentemente do cenário; 37% querem continuar a graduação, mas consideram que há risco de desistência. Apenas 6% afirmaram que provavelmente desistirão devido ao contexto atual. A maioria dos estudantes do último grupo (58,4%) aponta a preocupação com a manutenção do emprego como o principal fator que poderia levá-los a deixar o curso. Outros fatores apresentados pelos alunos são o temor de que os pais ou responsáveis não consigam arcar com as mensalidades (11,9%) e a dificuldade de se adaptar às aulas virtuais (15,3%).

Há, ainda, uma parcela (7,5%) que pensa em desistir da faculdade para usar o dinheiro para cobrir despesas e outra que deixaria a graduação caso não fossem interrompidas as aulas presenciais diante do risco de contaminação ao novo coronavírus (6,9%). O sócio-fundador da Educa Insights Daniel Infante analisa os números da pesquisa de maneira positiva. “Esse é um resultado muito importante e significativo para as instituições”, afirma. Ele reconhece que, apesar dos impactos na economia, a situação ainda é “bastante controlável” no setor educacional. “No momento em que estourou a pandemia, nós buscamos maneiras de ajudar o setor a reagir da forma mais estruturada possível.”

Impacto nas matrículas
Ainda segundo Infante, o impacto da crise na captação de novas matrículas é mínimo. “Boa parte de quem entraria (em uma faculdade) já havia se inscrito quando a situação começou”, explica. O levantamento da Educa Insights e da ABMES também ouviu pessoas que pensam em começar um curso de ensino superior, presencial ou a distância, nos próximos 12 meses.  Entre os entrevistados, 43% preferem esperar a situação se normalizar para começar a graduação; 22% pretendem começar no meio deste ano; 30%, no início de 2021; 6%, na metade do ano que vem.

O sócio-fundador da Educa Insights explica que, embora haja outras demandas mais importantes para as instituições de ensino superior no momento — como a adaptação para o modelo de aulas virtuais —, o foco em captação de novos estudantes também precisa entrar no planejamento. Afinal, quase um quarto dos entrevistados pretende começar a graduação já na metade deste ano.

Valor das mensalidades
Desde que as faculdades particulares substituíram as atividades presenciais por aulas on-line, grupos de estudantes têm cobrado a redução da mensalidade para o valor de graduações a distância. O presidente da ABMES, Celso Niskier, explica, entretanto, que o modelo adotado atualmente pelas instituições de ensino superior não é EAD. “As faculdades estão implementando aulas presenciais de forma remota, o que é diferente do ensino a distância tradicional. Não cabe essa comparação.”

Há um movimento, inclusive, de assembleias legislativas para tentar aprovar descontos coletivos. De acordo com Niskier, essa medida está “completamente fora do escopo da realidade”. Ele explica que o problema é pontual, não generalizado. “Se a gente horizontalizar os descontos, oferecendo 30% para todos os estudantes, por exemplo, não conseguiremos atender àqueles que necessitam de mais do que 30% e atenderemos quem tem condições de pagar o valor integral”, justifica. “Individualizar o tratamento é melhor do que judicializar essa questão”, acrescenta.

O presidente da ABMES destaca que as entidades ligadas à educação estão negociando soluções de créditos para que o percentual de alunos que não terá condições de bancar os estudos nos próximos meses possa ser atendido. Ele aconselha que esses estudantes procurem suas faculdades e discutam formas viáveis de continuar a graduação. “Vocês serão ouvidos”, garante. Ainda de acordo com Niskier, as faculdades estão se movimentando para auxiliar os alunos que não têm acesso a aparatos tecnológicos em casa. “Nenhum deles vai ficar para atrás se depender das instituições de ensino superior.”

Sobre a pesquisa O levantamento “Coronavírus e Educação Superior: o que pensam os alunos?” foi realizada virtualmente entre 20 e 23 de março. A pesquisa ouviu homens e mulheres, entre 17 e 50 anos, das classes sociais A, B, C e E. 

Participaram do estudo 485 alunos de graduação, matriculados em cursos presenciais ou EAD de instituições particulares, há pelo menos 6 meses. Também foram entrevistadas 512 pessoas que pensam em começar um curso de ensino superior, presencial ou a distância, nos próximos 12 meses. Estão previstas outras duas etapas da pesquisa, que deverão ser realizadas na segunda quinzena de abril e em meados de maio de 2020.


Conteúdo Relacionado

Vídeos

Seminário Virtual ABMES | Coronavírus e educação superior

Confira a íntegra do Seminário Virtual ABMES, realizado no dia 2 de abril de 2020, que apresentou dados do estudo sobre o impacto do novo coronavírus na educação superior, feito pela empresa de pesquisas educacionais Educa Insights. Coordenado por Celso Niskier, diretor presidente da ABMES, o evento contou com a participação de Daniel Infante, sócio-fundador Educa Insights, e Sólon Caldas, diretor executivo da ABMES

Balanço Geral - 02/04/2020

Diretor presidente da ABMES, Celso Niskier, comenta sobre pesquisa divulgada pela Associação, em parceria com a Educa Insights, mostrando que 94% dos alunos que cursam ensino superior presencial em instituições particulares de todo o país pretendem dar continuidade aos estudos, independentemente dos impactos da pandemia do novo coronavírus

Notícias

O remédio da educação

IstoÉ: instituições particulares adotam métodos digitais de aprendizado para evitar interrupção das aulas, cumprir carga horária e diminuir impactos da pandemia

Para 20% dos alunos, será difícil pagar curso

Valor Econômico: A ABMES negocia com o BNDES crédito para financiar estudantes ou conceder bolsas

Dificuldades financeiras são principal preocupação de estudantes ante Covid-19

Estadão | Broadcast: Diretor presidente da ABMES afirma que o setor deve estudar, caso a caso, como conceder bolsas e refinanciamentos para alunos que enfrentarem desemprego ou redução de renda durante a Covid-19

Quase metade dos estudantes não sabe por quanto tempo conseguirá pagar graduação diante da crise

CBN: matéria fala sobre a pesquisa apresentada pela ABMES sobre o impacto do coronavírus na educação superior

Universitários tem fim do sonho do diploma, com efeitos do coronavírus

Estado de Minas: matéria traz dados da pesquisa divulgada pela ABMES mostrando que 94% dos alunos que cursam ensino superior presencial em instituições particulares pretendem dar continuidade aos estudos, independentemente dos impactos da pandemia

Coronavírus: 94% dos alunos de instituições particulares querem continuar estudando, diz pesquisa

Dados de pesquisa da Educa Insights foram apresentados nesta quinta-feira (02/04) pela ABMES, durante seminário virtual

Mesmo com coronavírus, 94% dos alunos vão seguir com estudos

R7: Pesquisa realizada pela ABMES aponta que o uso da tecnologia no ensino é um caminho sem volta

#ABMESINFORMA

12/03/2020

Orientações ao setor particular de educação superior sobre prevenção ao Coronavírus

Embora a incidência da doença ainda seja baixa nacionalmente, recomendamos a implementação de um plano de contingenciamento para possíveis impactos nas atividades econômicas do país