Detalhe

China quer estrangeiros nas universidades

04/11/2019 | Por: Valor Econômico | 314
Foto: Divulgação/ Valor Econômico

A Revolução Cultural Chinesa - movimento liderado por Mao Tsé-tung que perseguiu professores, intelectuais e artistas - levou ao fechamento de praticamente todas as universidades do país asiático por dez anos, entre 1966 e 1976. Hoje, quatro décadas depois, o governo da China investe fortemente para atrair estrangeiros para suas universidades, concedendo generosas bolsas de estudo. Atualmente, há cerca de meio milhão de alunos de outros países estudando nas instituições chinesas. Algumas delas já despontam entre as melhores do mundo.

O volume de estudantes brasileiros na China ainda é pequeno, mas vem aumentando com a estratégia do governo de atrair estrangeiros com bolsas que arcam com todos os custos. “Em Macao, temos mais bolsas de estudo para estrangeiros do que demanda de estudantes”, contou Sou Chio Fai, diretor do departamento de ensino superior do governo da região.

O gaúcho Bruno Locatelli interrompeu sua graduação de engenharia na Univates, universidade privada do Rio Grande do Sul, após conseguir uma bolsa para cursar mandarim na Beijing Language and Culture University, em Pequim. Já Laura Torres se formou em relações internacionais pela Unesp e está na China há um ano, fazendo um mestrado na Fudan. Seu colega, Ney Myahira, de 38 anos, doutorando da FEA-USP, está na China com seu professor orientador, que foi convidado pela Fudan. Os três brasileiros - Laura, Locatelli e Myyahira - estão no país asiático estudando com bolsa do governo chinês.

Diante do interesse dos brasileiros e da importância econômica que a China conquistou, os grupos privados de ensino superior do Brasil estão firmando parcerias com universidades chinesas. “O ensino superior particular brasileiro cresceu muito e agora está na hora da internacionalização. Historicamente, o intercâmbio é feito por alunos de pós-graduação ou de uma classe mais privilegiada. Precisamos oferecer para todos”, disse Celso Niskier, diretor presidente da Associação Brasileira das Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES) e da Unicarioca.

Representantes de faculdades brasileiras e da ABMES estiveram em cinco cidades da China em outubro, durante duas semanas. No período, foram fechados acordos com a Beijing Language and Culture, University of Macau, Beihang e Shanghai Business School. Há ainda um processo em andamento com a Fudan.

No acordo com Beihang University, de Pequim, as instituições brasileiras Unicarioca, UniAtenas e Inapós fecharam negócios e adquiriram um software de realidade virtual desenvolvido pelo centro de inovação da universidade chinesa. O programa permite, por exemplo, simulações de aulas de anatomia ou experimentos em laboratórios de química com uso de realidade aumentada.

“O custo é muito interessante. Vou pagar US$ 10 mil por curso, independentemente do número de alunos e com direito a atualizações do software. No Brasil, um programa semelhante custa R$ 600 mil e é preciso pagar um extra por aluno”, disse Roberto Costa Rabello, pró-reitor de infraestrutura e estratégia da UniAtenas, de Minas Gerais. A ideia é usar o programa de realidade virtual nas escolas de ensino médio e na faculdade de medicina do grupo.

A Unicarioca vai usar o software de realidade virtual no mestrado de tecnologias aplicadas à educação. Os alunos do colégio público Pedro II, do Rio, usam o programa para aprendizado de diversas disciplinas como, por exemplo, meio ambiente. A mineira Inapós, por sua vez, adotará o programa em sua graduação de odontologia.

Na semana em que o presidente Jair Bolsonaro esteve na China, também em outubro, a Capes, órgão do MEC responsável pelo apoio a pesquisas acadêmicas, firmou acordo com a National Natural Science Foundation of China (NSFC), agência de fomento à pesquisa e inovação chinesa.

“É impressionante como em quarenta e poucos anos, as universidades chinesas conseguiram se recuperar e aparecem hoje nos melhores rankings. Claro, uma coisa que houve é que não faltaram recursos financeiros para isso. A capacidade financeira do Estado chinês faz com que eles tenham dinheiro para mandar as pessoas estudarem fora, investir em laboratórios, pagar bolsas de estudo. Vários chineses foram estudar fora, se capacitaram e voltaram. Mas chama atenção como eles conseguiram multiplicar a educação no país”, disse Paulo Estivallet de Mesquita, embaixador do Brasil na China.

Nos últimos 40 anos, 5 milhões de chineses foram estudar em outros países, sendo que 3,5 milhões retornaram à China. Hoje, há cerca de 38 milhões de jovens na universidade, o que representa 48% da população local com idade entre 18 e 22 anos. No Brasil, esse percentual é de 18% (considerando os jovens com até 24 anos).

No mais recente ranking da revista britânica “Times Higher Education”, que avalia cerca de 1,3 mil instituições do mundo, as universidades Tsinghua e Peking foram as melhores classificadas, na posições 23 e 24, respectivamente. Além dessas duas, outras três instituições de ensino do país são destaque: a University of Science and Technology of China e as universidades Zhejiang e Fudan.

“Além do alto investimento nas universidades para que elas tenham performance em padrões internacionais, o governo usa as pesquisas dessas intituições como fonte de informação para embasar políticas públicas. Então, há uma demanda para que produzam dados corretos, caso isso não ocorra, são cobradas”, disse Evandro Menezes de Carvalho, consultor especializado em China e professor da FGV-RJ.

Questionado sobre as vantagens de um estrangeiro optar por uma universidade chinesa e não da Europa ou dos EUA, Li XiaoMu, vice-reitor da Beijing International Studies University (Bisu), em Pequim, argumentou que o seu país vive um grande momento econômico e que “após estudar na Bisu, na China ou aprender chinês os alunos serão mais competitivos no mercado de trabalho.”

Se por um lado, o vigor da economia do país é um atrativo para estrangeiros na China, o grande empecilho para as universidades chinesas deslancharem no cenário internacional é o idioma. A maior parte dos cursos de graduação é ministrada em mandarim. A oferta de cursos em inglês se dá na pós-graduação.

Outro desafio é o controle do governo sobre as universidades. Na semana passada, um artigo do jornal “Financial Times” mostrou que a London School of Economics, tradicional universidade britânica, adiou um programa de pesquisa sobre a China, por receio de que os estudos não pudessem ser independentes. O principal patrocinador do programa era um empresário apoiador do Partido Comunista e havia sido definido que o conselho do grupo de estudos não poderia ter membros contrários às diretrizes do governo.

Na China continental, todas as universidades são públicas, ou seja, são controladas pelo partido comunista, que sempre tem um representante dentro das instituições de ensino superior. Apesar de serem públicas, não são gratuitas. Uma graduação, com direito a dormitório compartilhado, sai pelo equivalente a R$ 500 ao mês para um chinês. O valor varia muito conforme o tipo de curso, instituição de ensino e região. Mas a questão financeira não é um grande problema, uma vez que o governo ajuda os alunos com renda menor.

O grande desafio para os estudantes chineses é o vestibular, conhecido como Gaokao. O processo é extremamente disputado, com provas em dois dias. Os alunos com as melhores pontuações podem escolher as universidade mais conceituadas, num processo semelhante ao nosso Enem. No entanto, há uma grande diferença que torna o Gaokao muito mais concorrido. Na China, o estudante só pode prestar o vestibular uma vez na vida. Quem não consegue entrar na universidade, pode ir para cursos politécnicos, mas ficam sujeitos a empregos com menor remuneração.

Os estrangeiros não precisam passar por um processo tão acirrado. O custo da universidade é maior, mas não se compara a de outros países. Na Fudan, uma das melhores instituições da China, a anuidade varia de R$ 13 mil a R$ 42 mil, dependendo do curso.


Conteúdo Relacionado

Vídeos

ABMES em Hong Kong

A 3ª Delegação ABMES Internacional - China Experience também esteve em Hong Kong. O grupo teve a oportunidade de conhecer um pouco sobre a cultura e tradição local

Confira como foi a 3ª Delegação ABMES Internacional

A 3ª Delegação ABMES Internacional - China Experience vivenciou 15 dias de muito trabalho, aprendizado, inovação, experiências únicas e diversão. O grupo percorreu quase 40 mil quilômetros, passando por cidades que convivem com a cultura milenar e conhecendo inovações que estão revolucionando o mundo, especialmente na área da educação

Em Macau, ABMES firma cooperação com mais uma universidade chinesa

Em sua passagem por Macau, região autônoma na costa sul da China continental, a 3ª Delegação ABMES Internacional – China Experience assinou mais um Memorando de Entendimento (MOU) com a City University of Macau (CityU). O acordo tem como objetivo incluir o Brasil nos programas de cooperação que a universidade possui com mais de dez entidades internacionais

ABMES em Xangai!

Em Xangai, a 3ª Delegação ABMES Internacional visitou três instituições: a Fudan University, terceira maior universidade da China, a Shanghai University of Traditional Chinese Medicine (SHUTCM) e Shanghai University of Finance & Economics (SUFE). Além disso, os brasileiros puderam conhecer um pouco mais sobre a cultura local

Delegação ABMES debate ampliação de intercâmbio em Hangzhou

O domingo também foi dia de networking e aprendizado para a 3ª Delegação ABMES Internacional! No dia 20/10, o grupo visitou a universidade pública Zhejiang University Of Finance And Economics (ZUFE). Localizada em Hangzhou, a instituição é especializada em cursos nas áreas de Finanças e Contabilidade. No mesmo dia, a delegação conheceu ainda uma das maiores plantações de chá do mundo

ABMES sela acordos importantes em Pequim!

A passagem da 3ª Delegação ABMES Internacional por Pequim, capital da China, foi marcada por importantes acordos selados entre instituições brasileiras e chinesas, bem como por visitas a lugares repletos de inovações e tecnologias de ponta

Passagem da delegação ABMES pela Cidade Proibida, na China

As delegações internacionais da ABMES vão além do intercâmbio acadêmico e tecnológico, elas também proporcionam aos participantes uma rica agenda cultural. No dia 17/10, o grupo teve a oportunidade de conhecer a Cidade Proibida e Praça da Paz Celestial, alguns dos locais mais importantes para a história da China

Embaixador do Brasil na China recebe a 3ª Delegação ABMES Internacional em Pequim

Na segunda-feira (14/10) o embaixador do Brasil na China, Paulo Estivallet de Mesquita, recebeu os membros da 3ª Delegação ABMES Internacional em um coquetel realizado na sede da embaixada em Pequim. A importância da aproximação cada vez maior entre os dois países foi o tema central do encontro

Delegação ABMES desembarca na China!

A 3ª Delegação ABMES Internacional desembarcou na China no domingo (13/10). A comitiva teve como compromisso inicial uma visita à Muralha da China, reconhecida como uma das sete maravilhas do mundo moderno. Após o passeio, foi realizado um almoço de boas-vindas na própria Muralha, oferecido pela empresa Pearson, para apresentação e alinhamento da delegação

Passagem da 3ª Delegação ABMES Internacional por Dubai e Abu Dhabi

Antes de chegar ao seu destino principal, a China, a 3ª Delegação ABMES Internacional passou por Dubai e Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, e durante dois dias tiveram a oportunidade de conhecer um pouco da cultura local

Recepção dos participantes da 3ª Delegação ABMES Internacional

Janguiê Diniz, vice-presidente da ABMES, recepciona os participantes da 3ª Delegação ABMES Internacional no aeroporto de São Paulo/SP rumo à China!

Meet ABMES! (Subtitled in chinese)

Founded in August 1982, the ABMES brings together the entities that maintain the higher education throughout the country in order to represent them in various governmental and non-governmental bodies with the objective of contributing to the strengthening of private higher education in Brazil. Watch in this video (with chinese subtitles) a little about the actions, projects, main guidelines and benefits to ABMES members

Em 2019, conheça a China com a ABMES!

Rússia, Israel e agora China: as delegações internacionais da ABMES conectam atores educacionais brasileiros com importantes instituições de educação mundiais e propiciam troca de experiências únicas entre os países!

Em 2019 conheceremos a China, que é o maior produtor de doutores universitários do mundo, tem 95% de sua população alfabetizada e lidera o ranking mundial de valorização dos professores.

Vem aí a 3ª Delegação ABMES Internacional - China Experience

Em 2019 a ABMES realizará sua 3ª missão internacional. Os participantes terão a oportunidade de conhecer a China, maior país da Ásia Oriental e o mais populoso do mundo. Interessados em participar da viagem podem entrar em contato pelo e-mail relacionamento@abmes.org.br. Mais informações em breve

Notícias

Unis cria modelo de intercâmbio para aluno que estuda e trabalha

Instituição de Varginha (MG) fez parcerias com empresas e hoje envia estudantes brasileiros para programas em 25 países

Influência ocidental e parceria privada

A instituição hoje é uma das mais respeitadas da China e também uma das mais procuradas pelos estrangeiros

Estratégia do Brasil de se aliar aos EUA em detrimento da China é um erro, diz especialista

"É um tiro no pé", afirma o consultor Evandro Menezes de Carvalho, consultor especializado em China e professor da FGV-Rio

Delegação Internacional da ABMES visita a Faculdade de Direito da Universidade de Finanças e Economia de Xangai

Delegação Internacional da ABMES visitou a Universidade de Finanças e Economia de Xangai e fecharam parcerias

Missão Educacional na China

Dirigentes do Grupo Dom Bosco fazem parte da 3ª Delegação ABMES Internacional com destino a China

Grupo Unis compõe delegação internacional que busca estabelecer parcerias com universidades da China

Com o objetivo de firmar parcerias com o país, representantes do Grupo Unis compõem a 3ª Delegação ABMES Internacional na China

Grupo Unis compõe delegação internacional que busca estabelecer parcerias com universidades da China

Representantes Grupo Unis participam da 3ª Delegação ABMES Internacional

Em Macau, delegação brasileira firma cooperação com mais uma universidade chinesa

Com foco em turismo internacional e gestão, o Memorando de Entendimento foi assinado com a City University of Macau

Instituições brasileiras e chinesas assinam parceria para cooperação internacional

Até o momento, já foram três convênios assinados por participantes da 3ª Delegação ABMES Internacional

Delegação ABMES debate ampliação de intercâmbio acadêmico com universidade da província de Zhejiang, na China

Além de encontrar líderes da universidade, o grupo de brasileiros visitou diversas escolas da instituição no último domingo (20/10)

Universidade chinesa propõe criação de fundação para parcerias educacionais com o Brasil

Proposta foi apresentada à delegação ABMES internacional pelo representante da Shanghai University of Finance & Economics

Gestores e educadores brasileiros conhecem programas de formação em Medicina Tradicional Chinesa

Participantes da 3ª Delegação ABMES Internacional visitaram a sede da Shanghai University of Traditional Chinese Medicine

Delegação brasileira debate parcerias com a terceira maior universidade da China

Diretor presidente da ABMES apresentou o setor de educação superior particular brasileiro e destacou o crescimento da EAD no país

Diretoras do Grupo Dom Bosco/UNDB em missão educacional na China

Educadoras da 3ª Delegação ABMES Internacional - China Experience prospectam parcerias com algumas das principais instituições de educação chinesas

Delegação ABMES visita "Vale do Silício Chinês"

Local reúne empreendimentos de alta tecnologia, chineses e internacionais, que lideram o desenvolvimento do mundo digital

Instituições de ensino superior brasileiras esperam aprofundar a cooperação com a China

Durante a visita da 3ª Delegação à China, dirigentes aproveitam o momento de aproximação para discutir sobre colaborações acadêmicas

Na China, cada vez mais gente aprende a falar português

Jornal Valor Econômico acompanhou a assinatura de Memorando de Entendimento entre a BLCU e a ABMES, em Pequim, na China

ABMES assina acordo de cooperação com universidade chinesa

Memorando que visa promover o intercâmbio cultural e acadêmico foi assinado durante a visita da 3ª Delegação ABMES Internacional à instituição

Embaixador do Brasil na China recebe a 3ª Delegação ABMES Internacional em Pequim

Em coquetel realizado na sede da embaixada, Paulo Estivallet de Mesquita falou sobre o momento de aproximação e oportunidades entre os dois países

#VamosConhecer: Beihang University

Os membros da 3ª Delegação ABMES Internacional conhecerão o Laboratório Estatal de Tecnologia e Sistemas de Realidade Virtual (State Key Lab) que funciona dentro da instituição

#VamosConhecer: Shanghai University of Traditional Chinese Medicine (SHUTCM)

Os participantes da delegação ABMES realizarão um tour pela universidade e terão a oportunidade de debater sobre alguns cursos oferecidos

#VamosConhecer: Shanghai University of Finance & Economics - School of Law

Em Xangai, a delegação ABMES visitará a escola de direito da principal universidade financeira da China

Mais perto da China

Talvez tenha chegado o momento de maior empenho de nossas autoridades no comércio exterior

#VamosConhecer: Zhongguancun Software Park (Z-park)

Integrantes da delegação ABMES visitarão cinco empresas que fazem parte do Vale do Silício Chinês, em Pequim

Plataforma reúne informações sobre educação superior chinesa e de países de língua portuguesa

Ferramenta incentiva interação e intercâmbio multilateral entre instituições membros

#VamosConhecer: National Institute of Cultural Development

Localizado em Pequim, o local foi criado com o objetivo de desenvolver o comércio cultural e exportar a cultura chinesa

#VamosConhecer: Zhejiang University of Finance and Economics (ZUFEF)

Em outubro de 2019, participantes da 3ª Delegação ABMES Internacional quatro escolas da instituição

Os fatores que transformaram a China em uma potência da inovação

Empresários compartilham aprendizados após expedição ao gigante oriental

#VamosConhecer: Beijing Language and Culture University (BLCU)

Delegação ABMES conhecerá a Faculdade de Línguas Estrangeiras, bem como os departamentos de Língua Chinesa e Artes da instituição

12 universidades chinesas entram em ranking das melhores do mundo

A Universidade de Tsinghua, a melhor classificada, ficou na 16ª posição e a maioria das universidades apresentou melhora no indicador Citations per Faculty da QS

#VamosConhecer: The Chinese University of Hong Kong

Integrantes da 3ª Delegação ABMES visitarão a Business School da universidade em outro de 2019

China quer ampliar acesso ao Gaokao, o Enem do país

Mais de 10 milhões estão inscritos para realizar a prova, maior número da década

#VamosConhecer: City University of Macau

Participantes da 3ª Delegação ABMES Internacional conhecerão dois centros da instituição

#VamosConhecer: Fudan University

Instituição receberá os participantes da 3ª Delegação ABMES Internacional - China Experience

China, fábrica de startups

Temos muito a aprender com o país asiático, um dos nossos principais parceiros comerciais e que vem demonstrando estar muito à frente em diversos setores

Ásia retoma seu lugar como centro do mundo

Economistas, cientistas políticos e especialistas em países emergentes vêm há décadas especulando sobre a chegada da Era Asiática, o ponto de inflexão quando o continente se tornará o centro do mundo

O crescimento exponencial e a China

A sociedade chinesa é sem duvida alguma a mais antiga e maior nação organizada em vigor nos dias de hoje

A extraordinária Xangai

A parceria que a China mantem com aproximadamente 70 países, garante o reconhecimento de suas qualificações acadêmicas e traz importantes campi de instituições de ensino renomadas

Revista internacional publica dados sobre educação superior na China

Edição da International Higher Education traz informações baseadas em dados do Ministério da Educação chinês

Embaixador da China no Brasil é apresentado à 3ª Delegação ABMES Internacional

Encontro aconteceu na residência oficial do embaixador, em Brasília/DF, e resultou no comprometimento da representação para a colaborar no diálogo com as instituições chinesas

Pequim volta a ter céu azul depois de 20 anos de intensa poluição

A guerra contra a poluição começou em Pequim em 1998

Por que estudar na China?

A China é o novo horizonte de tecnologia

China cria estrela artificial mais quente que o Sol que pode ser futuro da energia

Experimento faz com que átomos se movam rapidamente para aumentar a probabilidade de eles colidirem e gerar pressão para a fusão nuclear

ONU Meio Ambiente destaca avanços da China na restauração ecológica de larga escala

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO), cerca de 21,9%, ou 206.861.000 hectares da China, foram reflorestados em 2010

O que podemos aprender com a China?

Essa atitude de se colocar como aprendiz é algo que a China executa com excelência

Portal online reúne informações sobre programas e bolsas de estudo em universidades chinesas

Objetivo do portal é encontrar oportunidades para estudantes estrangeiros de forma rápida, eficiente e com um bom custo-benefício

Reformas econômicas: 9 gráficos que mostram a transformação da China em 40 anos

Ao fazer mudanças nas regras que regem sua economia e uma gradual abertura para o resto do mundo, o país conseguiu tirar centenas de milhões da pobreza e aumentar o seu PIB em mais de nove vezes.

Sonda chinesa pousa no lado oculto da Lua pela primeira vez na história

Com a missão, país se coloca em destaque na corrida espacial. Objetivo é estudar a composição dessa parte do satélite, que não pode ser vista da Terra