Detalhe

Sobre a internacionalização das universidades

06/04/2018 | Por: Correio Braziliense | 118

MOZART NEVES RAMOS - Diretor do Instituto Ayrton Senna. Foi reitor da Universidade Federal de Pernambuco e secretário de Educação de Pernambuco

JOSÉ FERNANDES DE LIMA - Foi reitor da Universidade Federal de Sergipe e secretário de Educação de Sergipe

O ensino superior no Brasil cresceu significativamente nos últimos anos. Contribuíram para esse crescimento, entre outros fatores, a reorganização das diretrizes curriculares para o ensino superior e os investimentos da iniciativa privada. A expectativa é que o país possa cumprir a meta 12 do Plano Nacional de Educação (PNE), o que significa ter 33% dos jovens da faixa etária de 18 a 24 anos matriculados no ensino superior até 2024. Hoje são 18,1% – além de estarmos muito distantes dessa meta, esse percentual é muito baixo quando comparado ao de países desenvolvidos. Ao lado da necessidade de ampliação das matrículas, destacase também a premência de inovar os procedimentos com vistas ao atendimento das demandas da sociedade.

Entre os desafios que se apresentam, cabe destacar a ampliação da troca de experiências e a aquisição, por parte dos estudantes, de competências e habilidades para um mundo do trabalho cada vez mais dinâmico, em decorrência das descontinuidades tecnológicas cada vez mais frequentes. Uma pesquisa do governo americano mostrou que nenhuma das 10 profissões que mais empregaram em 2009 existia em 2004. Ou seja, estamos formando jovens para profissões que nem sequer ainda existem. É com base nesse cenário que os países desenvolvidos e as empresas de maior poder tecnológico estão procurando atrair os melhores e mais competentes profissionais – os mais habilitados para lidar com esse dinamismo, sejam eles oriundos de qualquer país ou região.

O crescimento do número de empresas transnacionais em todo o mundo vem contribuindo para o aumento dessa procura, sempre na perspectiva de um novo perfil de profissional qualificado para atuar em projetos de âmbito global. Dominar o inglês e ter uma formação multicultural são alguns dos elementos-chave nesse processo de seleção, além de uma formação acadêmica sólida.Esses fatos têm afetado a organização do ensino superior em todos os países, mesmo que de formas diferentes. A maneira como os governos organizam seus sistemas de ensino superior pode nos dizer muito sobre seus objetivos econômicos, sociais e políticos e sobre seus planos para alcançar tais objetivos.

A revolução por que passa o ensino superior no planeta é multifacetada, mas as suas características podem ser agrupadas em quatro grandes eixos: 1) há um crescimento do retorno do investimento em ensino superior quando comparado ao investimento no ensino básico; 2) cada vez mais os governantes passam a considerar o ensino superior como um bem privado, em detrimento de entendêlo como um bem público. Hoje, no Brasil, as matrículas no ensino superior privado representam 75% do total; 3) amplia-se o uso da tecnologia da informação com o objetivo de atingir nova parcela da população, notadamente aquela formada por trabalhadores que desejem voltar a estudar; 4) acentuase o processo de internacionalização e globalização dos sistemas de ensino superior. Atualmente, milhões de estudantes estudam fora de seus países de origem. Foi criado o conceito de universidade de classe mundial com base no modelo das principais universidades americanas. No Brasil, esse incentivo foi iniciado pela Coordenação de Pessoal de Nível Superior (Capes) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), que passaram a estimular a internacionalização dosprogramas de pós-graduação e pesquisa. Os órgãos responsáveis pela regulação e avaliação do ensino superior passaram a adotar como critério avaliativo os números da internacionalização.

Em consequência, muitas universidades ampliaram seus investimentos para o envio de professores e estudantes ao exterior e passaram a organizar sua estrutura para o recebimento de estudantes e pesquisadores estrangeiros. Não obstante esse processo esteja mais adiantado nas instituições públicas, algumas universidades privadas têm se empenhado significativamente nos seus processos de internacionalização. Nesse particular, cabe destacar, a título de exemplo, os investimentos que vêm sendo feitos pela Universidade Tiradentes, localizada no Nordeste do Brasil, mais precisamente no estado de Sergipe. Após criar o Tiradentes Institute, em Boston, em parceria com a Universidade de Massachusetts (UMass), nos Estados Unidos, ela começa agora a ser certificada pela Associação das Universidades Europeias (AUE), com vistas ao desenvolvimento de padrões de qualidade semelhantes aos das universidades do continente europeu. Atrair e fidelizar jovens para o ensino superior, num cenário globalizado e cada vez mais competitivo, passa pela internacionalização e pela capacidade de inovar. As instituições de ensino superior precisam se moldar a este novo cenário mundial para que possamos nos equiparar, num futuro próximo, aos países desenvolvidos.


Conteúdo Relacionado

Documentos

Notícias

ABMES divulga oportunidades internacionais na área de educação

Cronogramas e instruções sobre os programas na área de educação internacional são atualizados rotineiramente pela ABMES

Fulbright oferece bolsa para aperfeiçoamento profissional nos EUA

Inscrições podem ser feitas online até 27 de maio

Conheça cinco alternativas de como pagar uma faculdade sem ter dinheiro

Correio da Bahia: Segundo a última pesquisa feita pela Associação Brasileira de Mantenedora de Ensino Superior (ABMES), 81% dos jovens entrevistados pretendem cursar a Universidade dentro dos próximos três anos

Concluir o ensino superior triplica a renda, mostra IBGE

Diplomados ganharam R$ 5.110, contra R$ 1.727 daqueles com nível médio

Capes divulga chamada do Programa de Apoio a Eventos no País

O edital atenderá os eventos do segundo semestre de 2018, que tenham data de início no período entre 1º de agosto e 31 de janeiro de 2019

Financiamento é mais importante do que qualidade na hora de escolher faculdade, revela pesquisa da ABMES

Influência de pais, amigos e das formas de ingresso oferecidas pela instituição também foram mapeadas

Estudantes de carreiras clássicas, com até 25 anos, predominam na graduação presencial

O estudo Educação superior em Minas Gerais: contexto e perspectivas, mostra que engenharia e TI são as áreas que mais absorvem alunos

Abertas chamadas públicas para cotas de iniciação científica

A divulgação dos resultados estará disponível na página do CNPq na internet a partir de junho de 2018

Inep recebe inscrições de docentes para Banco de Avaliadores do Sinaes

O resultado será divulgado a partir de 17 de abril. São mil vagas para qualquer graduação, e mais 10.973 vagas para áreas diversas

O debate sobre mensalidades desiguais no âmbito do Fies

A nova Lei do Fies tornou mais claras as regras que explicitam quais descontos não são considerados regulares e de caráter coletivo instituídos por liberalidade das instituições

Capes financia desenvolvimento de ferramentas de acessibilidade

Os projetos aprovados serão financiados com recursos no valor global estimado de R$ 1 milhão, para itens de capital e custeio, oriundos do orçamento da Capes

Prorrogadas até 21 de fevereiro as inscrições para programas internacionais da Capes

Os editais ofertam vagas para programas de Professor Visitante (PVE), Pós-doutorado e Doutorado-pleno no exterior. Todas as vagas têm previsão de início dos estudos a partir de agosto a novembro de 2018

Programa destina R$ 5,5 milhões para projetos em pesquisa e inovação

O edital do programa Talentos para Inovação abrange 27 áreas de competência e totaliza o investimento em R$ 5,5 milhões

Confira as oportunidades internacionais que estão abertas para estudantes e docentes brasileiros

Cronogramas e instruções sobre os programas na área de educação internacional são atualizados rotineiramente pela ABMES

Divulgado novo prazo de inscrição para programas internacionais da Capes

Para estarem aptos, os candidatos deverão observar os requisitos descritos em cada edital

Novo regulamento unifica normas de programas internacionais da Capes

A principal novidade trazida pela Portaria nº 8 é o termo de compromisso do coordenador de projeto, documento que esclarece as atribuições do gestor da proposta aprovada

Conheça os MOOCs: cursos abertos, online e gratuitos

Conteúdos são diversos e possibilitam o desenvolvimento da carreira, estudos avançados, evolução pessoal e novas habilidades

Coluna

Educação Superior Comentada | Processo seletivo para acesso à graduação

Ano 2 • Nº 30 • De 4 a 10 de novembro de 2014

A Coluna Educação Superior Comentada desta semana analisa as regras para realização de processo seletivo para acesso aos cursos de graduação

Educação Superior Comentada | A necessidade da educação para a cidadania

Ano 3 • Nº 9 • 13 de abril de 2016

Nesta semana, a Coluna Educação Superior Comentada analisa a necessidade da educação para a cidadania

Educação Superior Comentada | As principais mudanças trazidas pelos instrumentos de avaliação de cursos de graduação relativamente ao corpo docente

Na edição desta semana, o consultor jurídico da ABMES, Gustavo Fagundes, analisa as principais mudanças trazidas pelos instrumentos de avaliação de cursos de graduação relativamente ao corpo docente. Segundo o especialista, a principal mudança verificada nos instrumentos de avaliação de cursos de graduação, notadamente para fins de autorização de cursos, foi a adoção de critérios avaliativos que objetivam assegurar o respeito à individualidade das instituições de educação superior