Detalhe

CBESP apresenta 10 propostas para o desenvolvimento do ensino superior brasileiro

07/05/2022 | Por: Desafios da Educação | 2046

O Congresso Brasileiro de Educação Superior Particular (CBESP), realizado entre 5 e 7 de maio, foi encerrado com a apresentação da Carta de Florianópolis. O documento traz dez propostas para o desenvolvimento do ensino superior brasileiro. 

Elaboradas pelo Fórum das Entidades Representativas do Ensino Superior*, as propostas visam o crescimento, a qualidade, a inovação e o incentivo de parcerias entre os setores público e privado. Segundo o texto, as iniciativas devem nortear a atuação do Fórum e as políticas públicas brasileiras nos próximos anos.    

Confira, abaixo, as 10 propostas da Carta de Florianópolis e suas justificativas:

1- Modernizar o marco regulatório da avaliação e da supervisão  
É preciso debater e aprovar um novo marco regulatório para os processos de avaliação e supervisão da educação superior. A medida deve contemplar o aprimoramento do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) e o uso de novas tecnologias digitais e de mecanismos de análise estatística preditiva, diminuindo o ônus para o setor público e para as instituições de educação superior (IES), estimulando assim o investimento em qualidade e expansão da oferta.

2- Criar um novo modelo de financiamento estudantil  
O Brasil não alcançará as metas do Plano Nacional de Educação (PNE) sem um amplo programa de financiamento estudantil, que contemple formas inteligentes de pagamento, condicionadas à renda dos egressos. 

3- Ampliar o ProUni e reabrir o ProIES  
O sucesso do ProUni como programa de inclusão social eficiente e duradouro deve ser expandido por meio da oferta de novas bolsas pela reabertura do ProIES, permitindo que instituições em dificuldades possam quitar suas dívidas.

4- Oferecer linhas de financiamento para estímulo à inovação nas IES  
Os órgãos públicos de financiamento para empresas, como o BNDES e a Finep, devem criar novas linhas que estimulem o investimento das IES em novas tecnologias digitais, para fazer frente aos desafios trazidos pelas metodologias híbridas, pela inteligência artificial e pelos algoritmos de personalização da aprendizagem.

5- Aprovar uma reforma tributária justa para a educação
Sem que o setor de Educação seja verdadeiramente priorizado, sem aumento de carga tributária, não haverá reforma tributária justa para o Brasil e para os milhões de jovens estudantes.

6- Desenvolver mecanismos de integração da educação superior com a educação básica  
O setor privado de educação superior é responsável por cerca de 70% dos novos professores formados a cada ano no Brasil, e está pronto para colaborar na melhoria da qualidade do ensino nas escolas de educação básica em todo o Brasil. 

7- Revisar a legislação da educação brasileira para contemplar as metodologias híbridas 
Por meio de um debate amplo no Conselho Nacional da Educação (CNE), o Fórum é a favor da regulamentação da aprendizagem híbrida, que permite maior alcance, mais flexibilidade e melhores resultados, dando às IES a liberdade para que, dentro da sua autonomia, possam adotar o modelo mais adequando para a oferta de seus cursos. 

8- Integrar as IES ao mundo do trabalho  
É preciso liberar as amarras curriculares, rever as diretrizes nacionais curriculares e integrar mais o ambiente do trabalho com as IES, de forma que os jovens possam acompanhar as mudanças do mercado e desenvolver projetos que sejam relevantes para o seu futuro profissional. 

9- Ampliar a participação das IES privadas nos conselhos de órgãos de governo
É necessário que a importância do setor privado de educação superior seja reconhecida na composição dos órgãos governamentais, especialmente nos Conselhos da Capes. 

10- Estimular a internacionalização da educação superior particular  
Devem ser criados mecanismos envolvendo parcerias públicas e particulares para ampliar a participação de IES brasileiras nas pesquisas internacionais, no intercâmbio de estudantes e nos programas de dupla certificação. 

*Fazem parte do Fórum as seguintes entidades: Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (ABMES); Associação Brasileira das Faculdades (Abrafi); Associação Nacional dos Centros Universitários (Anaceu); Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior (Semesp); Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenen); Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep); Sindicato das Entidades Mantenedoras de Estabelecimentos de Ensino Superior do Estado do Rio de Janeiro (Semerj); Associação Baiana das Mantenedoras do Ensino Superior (ABAMES) e a Associação de Mantenedoras Particulares de Educação Superior de Santa Catarina (AMPESC). 


Conteúdo Relacionado

Áudios

Áudio: Sucesso da avaliação virtual in loco

Data:19/05/2022

Descrição:

ESPECIAL CBESP | Os próximos seis episódios do podcast da ABMES foram gravados durante o XIV CBESP, principal congresso da educação superior brasileira. Confira o primeiro debate desta série especial: 

 

A pandemia da Covid-19 trouxe uma inovação importante para o universo educacional superior: as avaliações externas virtuais in loco nas instituições de ensino superior, que começaram em abril de 2021. O formato está sendo um sucesso! Porém, ainda pode ser melhorado. Neste episódio, falamos com o presidente do Inep sobre o tema. 

 

Participantes:

Celso Niskier – Diretor presidente da ABMES 

Danilo Dupas Ribeiro – Presidente do Inep 

Bruno Coimbra – Assessor Jurídico da ABMES

 

Ficha técnica

Produção: Camila Griguc 

Edição de som: Jonathan Alves

Apoio: Sabrina Moraes

Download

Vídeos

ESPECIAL CBESP | O sucesso da avaliação virtual in loco

A pandemia da Covid-19 trouxe uma inovação importante para o universo educacional superior: as avaliações externas virtuais in loco nas instituições de ensino superior, que começaram em abril de 2021. O formato está sendo um sucesso! Porém, ainda pode ser melhorado. Neste episódio, falamos com o presidente do Inep sobre o tema.

Participantes:
Celso Niskier – Diretor presidente da ABMES
Danilo Dupas Ribeiro – Presidente do Inep
Bruno Coimbra – Assessor Jurídico da ABMES 

Notícias

MEC facilita abertura de cursos técnicos pelas universidades privadas

Aval dependerá apenas do ministério para abrir vagas online em vários polos; setor prevê atender demanda do novo ensino médio

Brasil deve atingir meta de matrículas no ensino superior apenas em 2040

Um dos objetivos da meta 12 do Plano Nacional de Educação (PNE) é colocar 33% da população entre 18 e 24 anos no ensino superior até 2024

Meta do PNE de ter 33% dos jovens na faculdade será alcançada com 16 anos de atraso, diz estudo

O levantamento feito pela consultoria Educa Insights e a Associação Brasileira de Mantenedoras de Ensino Superior (Abmes) foi divulgado nesta sexta (6) durante o XIV Congresso Brasileiro de Educação Superior Particular, em Florianópolis

Ensino superior privado projeta atraso de 16 anos para atingir meta de jovens nas faculdades

Plano Nacional de Educação previa 33% dos brasileiros de 18 a 24 anos na universidade até 2024; setor defende mudança no Fies, com cobrança somente após o estudante conseguir emprego

No ritmo da última década, meta do PNE para ensino superior será atingida em 2040, diz estudo

No pior cenário, país atingiria estagnação em 2033 e pode nunca conseguir ter 33% dos jovens de 18 a 24 anos na universidade

Para aumentar vagas de ensino técnico, MEC flexibiliza oferta nas universidades privadas

Ministério passará a autorizar cursos, o que era responsabilidade dos conselhos estaduais de educação; número de matrículas está estagnado desde 2015

Número de alunos em cursos técnicos pode crescer 25% com oferta em faculdades privadas

Em 2019, havia cerca de 1,8 milhão de alunos matriculados nessa modalidade de curso, que tem duração de um ano

CBESP: Experiências internacionais inspiram participantes no segundo dia

Cases de sucesso no exterior foram apresentados em uma manhã de grandes aprendizados disruptivos

CBESP: Experiências nacionais de criatividade e inovação marcam presença no segundo dia

Cases de sucesso no Brasil adotam metodologias disruptivas, valorizam a formação integral do aluno e atendem às demandas do mercado de trabalho

Ministro da Educação participa de abertura do XIV CBESP

O ministro da Educação, Victor Godoy Veiga, participou nesta quinta-feira (05) da solenidade de abertura do XIV Congresso Brasileiro da Educação Superior Particular (CBESP)

Abertura do CBESP terá sessão solene com ministro da Educação e bate-papo sobre criatividade e inovação com o publicitário Nizan Guanaes

Após as palestras, a noite será animada pelo cantor de rock Paulo Ricardo com o show “Voz, Violão e Rock’n’Roll” em que ele canta todos os seus grandes sucessos

Projeto Seres em Movimento realizará atendimentos durante o XIV CBESP

Os participantes poderão agendar horários exclusivos para falar sobre seus processos abertos no Ministério da Educação ou queiram esclarecer dúvidas sobre o sistema e-MEC

14ª edição do CBESP debaterá o impacto da inovação e da criatividade no setor educacional

Nos dias 5, 6 e 7 de maio, educadores de todo o país estarão reunidos presencialmente em Florianópolis/SC

Editora

Revista Estudos nº 45

Criada em 1982, a Revista Estudos, de conteúdo temático, tem como objetivo reunir trabalhos sobre grandes temas educacionais, elaborados por profissionais reconhecidos nacionalmente, como subsídio ao aprofundamento de debates e de reflexões das instituições de ensino superior. A edição de nº 45 aborda a criatividade e inovação na construção da educação superior pós-pandemia.